Saltar para conteúdo da página

Logo Jornal EXPANSÃO

EXPANSÃO - Página Inicial

Logo WeekendPatrocinado

O que são consumíveis/cartuchos remanufacturados?

Patrocinado

Os consumíveis remanufacturados são comumente chamados de "reenchidos" ou "reciclados" ou "compatíveis" no nosso mercado. A designação correcta será "remanufacturados".

As empresas de "remanufacturação" ou "reenchidos" recolhem as embalagens de tinta ou toner vazios, limpam-nas, substituem as peças essenciais para tentar que funcionem correctamente quando é inserido na impressora, e reenchem. É a substituição dessas peças que distingue os consumíveis remanufacturados dos reenchidos.

Nos consumíveis remanufacturados, na maioria das vezes, existe a substituição das peças e o tambor de imagem (dentro da embalagem) é também substituído ou, pelo menos limpo. No caso dos Reenchidos ou Reciclados, quem os comercializa, simplesmente fura as embalagens e reenche-as.

Os microchips embutidos nos cartuchos também podem ter de ser substituídos. Muitas vezes o chip é substituído apenas para "enganar" a impressora e fazê-la pensar que é um cartucho original.

No caso dos tinteiros, os remanufacturados não reutilizam cartuchos antigos, mas imitam o design dos cartuchos de tinta oficiais, oferecendo benefício zero para o meio ambiente e muitas vezes infringindo a propriedade intelectual do fabricante da impressora.

As imitações são, por vezes, tão perfeitas, que nem sempre o Consumidor percebe que não está a comprar um original.

Os Consumíveis remanufacturados/reenchidos/reciclados têm a mesma qualidade?

A resposta curta para isso é, inevitavelmente, não.
Não só porque fazem uso de componentes antigos para tentarem funcionar correctamente, mas porque o toner e a tinta que usam não são o do fabricante, não tem por isso a mesma composição, que garante a qualidade a que a Marca se propõe.

Os Consumíveis remanufacturados são confiáveis ?

A resposta óbvia é não. Se um cartucho está a ser usado pela segunda ou terceira vez, com peças de reposição não genuínas, a probabilidade de falhar é muito alta, a qualidade final do trabalho é reduzida.

A HP levou a cabo estudos independentes que indicam que cerca de 4 em cada 10 cartuchos remanufacturados apresentam problemas. Os mais comuns são a Qualidade da Impressão e o Número de Páginas impressas, que reduzem drasticamente.

Consumíveis que apesar de novos, não funcionam; consumíveis que deixam de imprimir de um momento para o outro, são sintomas frequentes nos reenchidos/reciclados.

Os consumíveis remanufacturados são mais baratos?

Se considerarmos apenas o preço do produto, sim. No entanto, quando colocamos custos indirectos na balança, a opção por este tipo de consumível revela-se desastrosa e muitíssimo mais onerosa que o custo de um Original.

Como?

Em primeiro lugar, porque impressoras onde são utilizados consumíveis não originais perdem o direito à Garantia da Marca. Significa isto dizer que em caso de avaria, o custo da reparação terá de ser suportado, na integra, pelo consumidor. Muitas vezes, os danos são tão significativos, que os equipamentos não têm reparação possível: a solução passa por adquirir uma impressora nova.

Em seguida, devemos considerar a baixa qualidade da impressão, que obriga a várias tentativas para conseguir um documento apresentável. O custo extra com papel e com o próprio consumível, que para o mesmo, gasta mais.

Por último, a rentabilidade destes consumíveis é consideravelmente inferior a um consumível original. Por outras palavras, imprime menos páginas com uma embalagem, o que acelera a troca. Se com um toner original consegue imprimir 3000 páginas, por exemplo, com um remanufacturado/reenchido/reciclado imprime cerca de 40% menos.

Outros custos associados e indirectos existem, alguns até relacionados com a qualidade do ar e com o impacto deste na saúde dos seus colaboradores. A imagem dos seus documentos também reflecte o posicionamento da sua empresa, a ideia que deixa nos seus clientes. Mas, os pontos anteriores, detalhadamente explicados, deixam claro que a poupança imediata na compra, é sempre uma má aposta.

Os Reenchidos/Reciclados são mais "verdes", são "amigos do ambiente"?

Ainda que assim sejam comunicados pelas empresas que a esta prática se dedicam, a informação não é correcta, nem ética. Entenda porquê.

Dir-nos-á o Consumidor, "mas se uso mais vezes a mesma embalagem, estou a contribuir para poupar no plástico, energia e demais recursos que são necessários para fazer uma nova embalagem." Sim, estaria, se considerarmos apenas estes factores. Só que não.

A qualidade das impressões é baixa, o que obriga a imprimir o mesmo documento variadas vezes. Folhas com manchas, riscos, esborratadas, em documentos que apresentam e defendem a imagem da empresa, são comuns. Se têm de ser impressos variadas vezes, o papel, a tinta e/ou toner consumidos, aumentam. Consequentemente, terá de adquirir mais embalagens de papel, e tem que usar mais consumíveis para imprimir o seu volume de documentos habitual. Logo, esse argumento da poupança, reduz-se a nada.

Em outras palavras, se os utilizadores imprimem 25% mais páginas porque têm de repetir as impressões devido à fraca qualidade do consumível, esse é o principal critério a ter em consideração na avaliação da sustentabilidade.

Outra perspectiva que deita por terra o argumento "verde" ou "amigo do ambiente", será o facto de um consumível remanufacturados/reenchidos/reciclado poder ser utilizado apenas 1 ou 2 vezes, tornando-se inutilizável depois disso. Embalagens que são danificadas ou alteradas, para poderem ser reutilizadas, têm um ciclo de vida curto: quando deixam de servir são simplesmente descartadas num aterro sanitário comum, onde nenhum cuidado ou tratamento existe para este tipo de produtos.

As Marcas já têm programas de sustentabilidade que actuam sobre estas embalagens vazias, certificando-se de que são realmente recicladas e voltam a entrar na cadeia de produção. A chamada Economia Circular.

A HP dispõe de um Programa dedicado à recolha e reciclagem de consumíveis vazios, com um enorme sucesso em vários países. Não só na perspectiva do produto em si, mas com uma vertente social importantíssima. Conheça algumas histórias de sucesso aqui: a História da Rosette.

A marca, em conjunto com o seu representante e distribuidor oficial para Angola, e com a vontade e envolvimento dos Revendedores Autorizados, tem vindo a adaptar o Programa à nossa realidade, e hoje já faz a recolha uma parte dos Consumíveis Originais que são vendidos.

E o que faz a HP com as embalagens vazias? Veja aqui: Faça a sua Parte.

A Stylus, dispõe de uma página dedicada a este tema - Consumíveis Originais, Contrafacção, Reciclagem e Impacto Social. Inscreva-se aqui para receber informação relevante e actual sobre o tema.