Director Carlos Rosado de Carvalho

Sanções ao Irão provocam debandada

Sanções ao Irão provocam debandada

A multinacional francesa Total faz parte de um conjunto de empresas que começou a abandonar as suas operações no Irão, deixando um investimento na maior reserva de gás natural do mundo.

Na sequência dos avisos por parte da Administração norte-americana, a francesa Total decidiu retirar-se de um projecto (estimado em 4,8 mil milhões USD) que teria lugar no South Pars Gas Field, no Irão, que contém as maiores reservas de gás natural do mundo. A multinacional faz parte de um conjunto de empresas que começou a abandonar as suas operações neste país, o que fez com que as sanções ao terceiro maior produtor da OPEP voltassem a dominar a agenda semanal.

Com isto, os EUA comprometeram-se a libertar 11 milhões de barris de sour crude (tipo de petróleo bruto com mais de 0,5% de enxofre) das suas reservas estratégicas, com vista a atenuar eventuais disrupções do lado da oferta resultantes de uma diminuição das exportações iranianas. Contudo, nem essa medida, nem o facto de a China continuar a importar 767 mil bpd (barris por dia) ao Irão, foram suficientes para acalmar as inquietações dos investidores. O petróleo subiu para os 74 USD, sustentado em previsões como as do BNP Paribas, que apontam para uma diminuição de cerca de 400 mil bpd da produção média da OPEP em 2019, para 31,7 milhões bdp.

*Banco Angolano de Investimentos

(Leia o artigo na íntegra na edição 487 do Expansão, de sexta-feira 24 de Agosto de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i