Director Carlos Rosado de Carvalho

ENDIAMA perdeu rasto a 15 empresas com contratos de exploração

ENDIAMA perdeu rasto a 15 empresas com contratos de exploração
Foto: César Magalhães

Proprietários têm até dia 10 para declarar localização das sedes e capacidade para o início de actividade, caso contrário verão contratos caducar.

A Empresa Nacional de Diamantes (ENDIAMA) publicou um edital em que anunciou a caducidade de 15 contratos de projectos de exploração diamantífera sem actividade e identificação da sede, caso os proprietários não dêem sinal de vida até 10 de Outubro.

De acordo com a diamantífera, tratam-se de empresas que assinaram contratos para explorarem as minas abandonadas no início da crise e que até ao momento não estão a exercer a actividade nas referidas concessões.

Segundo uma fonte ligada à ENDIAMA, não se sabe quantas empresas aparecerão a reclamar a titularidade das referidas reservas e a confirmar a localização da sua sede, mas dado tratarem-se de sociedades criadas com objectivo de serem financiadas pelo Estado, caso não compareçam à convocatória, a ENDIAMA ver-se-á na "obrigação de rescindir" os contratos de forma unilateral. "Na verdade, o edital surge como medida de pressão para que os proprietários ou seus representantes identifiquem a localização das suas sedes", revelou a mesma fonte. (...)


(Leia o artigo integral na edição 493 do Expansão, de sexta-feira, dia 5 de Outubro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i