Director Carlos Rosado de Carvalho

"A confiança no mercado angolano está a voltar"

"A confiança no mercado angolano está a voltar"
Foto: César Magalhães

O ano de 2018 foi mau para a Krones Angola, subsidiária do líder mundial na produção de linhas de engarrafamento. Como faltam novos projectos, a "exportação" de técnicos está a salvar a facturação, antes do investimento voltar.

A Krones integrou a comitiva que acompanhou o Presidente João Lourenço à Alemanha. O que a visita trouxe?
Foi extremamente importante para ter uma ponte entre Angola e a Alemanha. Como a Alemanha é um fornecedor de equipamento de alta qualidade, essa conexão é muito importante. No Fórum Económico, em Berlim, estiveram 270 empresas alemãs, muitas estão interessadas em Angola, querem saber como está a situação e o mercado.

E como está o mercado?
Digo às empresas alemãs que estão interessadas em Angola que a Krones está no País, desde 2007, a trabalhar com muito sucesso. Claro que a crise nos obrigou a reajustes, mas também temos responsabilidade, como empresa que está em Angola, de chamar outras empresas alemãs. Tive várias conversas com empresas da área da construção, produção de comida, etc...

Angola é hoje um mercado mais atractivo?
Todos os analistas e pessoas com quem falamos dizem que 2018 ainda foi um ano difícil, mas 2019 vai ser um ano bem melhor para todo o mercado.

Esse optimismo resulta da mudança do ciclo político?
E dos ajustes cambiais. Hoje em dia, existe maior disponibilidade de divisas. Todos esses sinais que estão a chegar à Krones mostram que a confiança no mercado angolano está a voltar.

Há um melhor ambiente de negócios?
Sim. (...)


(Leia a entrevista integral na edição 494 do Expansão, de sexta-feira 12 de Outubro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i