Director Carlos Rosado de Carvalho

Cultura da lamentação

Cultura da lamentação
Foto: D.R.

A lamentação em nada ajuda ao progresso, pois olhar para o passado ou para as falhas apenas deve servir como aprendizagem inteligente e útil, não como recalcamento inútil.

Desde sempre percebi, que sorte repetida é competência, pouca sorte repetida é dramaticamente incompetência, pois quem repete a pouca sorte não aprendeu e passa da zona de luta e procura da melhoria, para a zona do conformismo, passando todo o tempo a lamentar-se.

Mas vejam bem o significado de lamentação e logo perceberão. Lamentar significa expressar-se através de lamentações, lamentar-se dos seus problemas, daquilo que pensa serem injúrias sofridas, falando com sofrimento ou angústia, passando os dias em repetidas mágoas.

No que respeita ao estado de espírito, persiste um sentimento de aflição, por tudo e por nada, muitas vezes, sem motivo, pois, com frequência, qualquer pequena coisa serve de amplificador da situação, quase sempre influenciando outros.

Como se costuma dizer, um triste quase nunca quer estar só e, quando está só, procura aliados para "encostar a cabecinha ao ombro e chorar".

Mas pior do que lamentar, é lamentar com críticas associadas, que corresponde à procura da destruição do elemento principal da comunicação, o entendimento e a sintonia. (...)


(Leia o artigo integral na edição 496 do Expansão, de sexta-feira, dia 26 de Outubro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i