Director Carlos Rosado de Carvalho

"Muitas empresas começaram de trás para a frente"

"Muitas empresas começaram de trás para a frente"
Foto: D.R.

O livro "O lado oculto do empreendedorismo" chega em Fevereiro. O autor diz que a morte prematura de empresas angolanas deve-se à falta de conhecimento sobre a área onde actuam e porque iniciam actividade sem elaborarem um plano de negócios rigoroso.

Porquê o título do livro "O lado oculto do empreendedorismo"?
Este título surgiu do fundamento do próprio livro. Confesso que não foi difícil encontrá-lo, pois pretendia retratar exactamente o que estava oculto nos negócios que hoje prosperam no mundo, uma vez que tinha chegado à conclusão de que não era simplesmente uma questão de o empreendedor ter dinheiro, boas ideias ou muita força de vontade.

Qual é o "lado oculto do empreendedorismo" ou o que está no "lado oculto"?
O que está oculto no empreendedorismo são as pessoas e a forte componente científica que o suporta. As pessoas, no seu todo, não apenas como força de trabalho de uma empresa.

Não é a primeira pessoa que diz trazer, para o mercado livreiro, uma receita para "o milagre no empreendedorismo". Qual o segredo e o que difere dos outros livros que anunciam o segredo para o sucesso?
Particularmente, não sou apologista da ideia de que existem fórmulas prontas para o sucesso, um passo-a-passo ou uma metodologia, mas sim, que existe um conjunto de acções que efectivamente pode ajudar um empreendedor a estar mais próximo do sucesso. No livro, trago princípios e directrizes para a criação e gestão de negócios sustentáveis. A única coisa que posso garantir é que quem os seguir, certamente somará vantagens em relação aos outros empreendedores.

De onde lhe vem esse conhecimento que partilha no livro?
Sou empreendedor e, neste livro, partilho a minha experiência de mais de 12 anos na liderança de vários projectos de investimento e projectos corporativos.

Em Angola, muitas empresas não passam do primeiro ou do segundo ano de vida. Porque é que a taxa de mortalidade empresarial é tão elevada no País?
Com base na minha experiência, a falência prematura de uma empresa tem muito a ver com a forma como ela é criada e gerida. O próprio ambiente de negócio não é favorável às empresas.

Quais os principais erros que os empreendedores cometem quando decidem dar o primeiro passo?
Os empreendedores cometem dois grandes erros. Primeiro, realizam um negócio numa área que não entendem, ou seja, onde não têm conhecimento e experiência. Segundo, iniciam um negócio sem antes elaborarem um plano de negócios profundo e rigoroso.

Há quanto tempo idealizou o lançamento do seu primeiro livro?
O lançamento deste livro foi idealizado há 20 anos, pois traduz-se no sonho dos meus 16 anos. Mas a crise fez com que o projecto tivesse vários reajustes face ao que me propunha. Contudo, consegui realizá-lo em dois anos.

A crise não o impediu de concretizar esse objectivo?
A crise não impediu que o objectivo fosse concretizado, mas fez com que o projecto tivesse vários reajustes face ao que me propunha inicialmente.

Que áreas ainda estão a descoberto e que deveriam merecer maior aposta por parte dos empreendedores?
Os sectores do turismo e tecnológico deveriam merecer maior atenção dos empreendedores. Também acho que deveríamos repensar os sectores da saúde e da educação, face às nossas necessidades actuais.

A chegada do FMI é uma boa ou uma má notícia?
No meu entender, a chegada do FMI representa um sinal positivo para a economia angolana. Paralelamente a esta questão, vejo a chegada do FMI , como um desafio a um modelo de governação assente na transparência, sendo este um sinal de confiança nas políticas do Executivo, para além de aumentar a credibilidade económica externa de Angola.


Empreendedor e pedagogo com pé nas novas tecnologias

Pedro Bernardo é natural de Luanda. Aos 36 anos, decidiu lançar o seu primeiro livro sobre empreendedorismo para passar a sua experiência como empreendedor e evitar que os futuros interessados cometam os mesmo erros.

O livro foi idealizado quando tinha apenas 16 anos, mas vários factores contribuíram para que só agora se tornasse realidade. No livro, as pessoas vão poder descobrir "O lado oculto do empreendedorismo", aquele que poucos vêem e que, muitas vezes, acaba por ser uma ratoeira.

Solteiro, pai de um filho e licenciado em Engenharia Informática, com duas pós-graduações, uma em Governança de Tecnologia de Informação e outra em Agregação Pedagógica, trabalha actualmente em Gestão de Projectos de Tecnologia de Informação e Comunicação numa operadora de telefonia móvel.

Sabe cozinhar e aproveita os tempos livres para ler, ver filmes e séries de TV, e ir à praia. O seu livro de cabeceira actual é a Bíblia Sagrada.


(artigo publicado na edição 506 do Expansão, de sexta-feira, dia 11 de Janeiro de 2019, disponível em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i