Director Carlos Rosado de Carvalho

Riquixós motorizados mais ecológicos e lucrativos

Riquixós motorizados mais ecológicos e lucrativos
Foto: D.R.

Com um sistema de crédito, que tem uma taxa de incumprimento recorde de 1%, a Three Wheels United está a transformar os riquixós mecanizados em veículos ecológicos e a aumentar o rendimento dos motoristas.

O motorista indiano de riquixó motorizado, Narasimhamurthy R., em breve, será proprietário de um triciclo com motor de quatro tempos de 200cc, com partida eléctrica, que lhe permitirá ganhar a vida.

Durante quase duas décadas, este motorista em Bengaluru (antiga Bangalore) teve de alugar o seu veículo de trabalho. Mas, daqui a oito meses, ele fará o pagamento final de um empréstimo de quatro anos que recebeu da Three Wheels United India Private Ltd (TWU), empresa financeira não bancária que ajuda motoristas de riquixó motorizados a comprar veículos mais ecológicos.

Em 2015, uma agente de campo da Three Wheels United chamada Jayalakshmi abordou o motorista, de 45 anos, com uma oferta para ajudá-lo a comprar um veículo com menos emissões de CO2 do que aquele que ele vinha alugando. A princípio, Narasimhamurthy recusou a oferta, mas a vendedora conseguiu persuadi-lo. Três meses depois, ele se inscreveu no programa de financiamento "Namma Auto" (Nosso Veículo) da TWU.

Na Índia, motoristas que alugam riquixós motorizados de dois tempos geralmente ganham o equivalente a menos de 8 USD por dia, mas Narasimhamurthy ganha agora até 50% a mais, já que os motores de quatro tempos são mais eficientes em termos de combustível e incorrem em menores custos de manutenção. Quando ele terminar de pagar o empréstimo, a sua renda aumentará para o equivalente a quase 15 USD por dia.

"Quase 50% dos motoristas de riquixó motorizados são obrigados a alugar veículos devido às opções de financiamento inacessíveis, limitando, portanto, a sua renda e a capacidade de escolher um veículo menos poluente", diz Cedrick Tandong, director-executivo da TWU. Os sistemas de classificação dos bancos para empréstimos são mal adaptados a motoristas de baixa renda que têm dificuldade em poupar dinheiro e, muitas vezes, não têm histórico bancário.

Riquixós motorizados fornecem uma alternativa conveniente e acessível ao transporte público inadequado em cidades em desenvolvimento, e eles se tornaram populares em países do Sul da Ásia, como Índia, Bangladesh, Indonésia, Paquistão e Tailândia. Mas eles são altamente poluentes: um estudo encomendado pela União Europeia revelou que as emissões anuais totais de 120 mil riquixós motorizados em Bengaluru chegam a 0,45 milhões de toneladas de CO2, 1.445 t de óxido de nitrogénio e 164 t de partículas de matéria 10. Embora apenas 20% desses riquixós motorizados sejam movidos a motores de dois tempos, eles são responsáveis por, aproximadamente, 25% do total de emissões de CO2 e quase 70% das emissões de PM10.

"Uma percentagem de 1% dos mais de 2 mil milhões de toneladas de emissões de veículos anuais de CO2 vêm dos riquixós. No entanto, não é realista esperar que os condutores que vivem com rendimentos de subsistência se preocupem em reduzir a poluição, sem primeiro ajudá-los a aumentar o seu rendimento", diz Tandong.

Um riquixó movido a motor de quatro tempos custa cerca de 175 mil rúpias (quase 2.400 USD). A TWU empresta 150 mil rúpias aos motoristas a uma taxa de juros de 10,5%, enquanto os motoristas pagam antecipadamente o restante. A TWU chega às comunidades de motoristas directamente através da sua equipa de 16 agentes de campo e, indiretamente, através de parcerias com organizações sem fins lucrativos locais, como a Saúde e Desenvolvimento das Mulheres (Women Health and Development, WHAD) e Payana, focadas na inclusão social.

O programa Namma Auto vai além do fornecimento de financiamento acessível. Ele incentiva os motoristas a reservarem 500 rúpias (6,8 USD) por mês, juntando-se a grupos de autoajuda de 15 a 20 motoristas. O montante é então depositado numa conta de poupança do grupo na Cooperativa de Crédito Karnataka Namma Souharda.

"O juro obtido é emprestado aos membros do grupo a uma taxa de juros de 2%, limitada a 10 mil rúpias (140 USD), em tempos de extrema necessidade - seja para as mensalidades escolares das crianças, caução de aluguer da casa ou hospitalização. Assumir responsabilidade conjunta liberta os motoristas das garras dos agiotas que concedem empréstimos a taxas de juros exorbitantes, acima de 36%", afirma Jayalakshmi, acrescentando que, em cinco anos, nenhum dos grupos que ela lidera deixou de pagar um empréstimo.

Como o sistema de classificação de crédito da TWU é projectado para motoristas, a empresa tem uma taxa de incumprimento recorde, inferior a 1% (inferior a 10%, dois anos antes), enquanto os bancos podem ter 40% de incumprimento para empréstimos na mesma categoria.

Para ajudar os motoristas a aumentar a sua renda diária, a TWU também os introduziu em aplicativos móveis, como o Uber.

A Three Wheels United foi fundada em 2014 pelo empreendimento social holandês Enviu e, desde então, criou um ecossistema de 15 mil motoristas e financiou mais de 2 mil veículos, principalmente nos estados de Karnataka e Tamil Nadu, no Sul da Índia. A empresa afirma que reduziu as emissões de CO2 em aproximadamente 22 mil toneladas. "Até 2022, esperamos financiar 11.700 veículos adicionais, dos quais 25% serão eléctricos", diz Tandong. Para conseguir isso, a empresa precisa levantar cerca de 130 milhões USD em capital novo.

"Fizemos uma parceria com a Bangalore Metro Rail Corporation para fornecer um ano de estacionamento gratuito e pontos de carregamento eléctricos, e a Mahindra Electric Mobility [parte do conglomerado Mahindra Group] para os seus recém-lançados triciclos motorizados movidos a bateria de lítio", acrescenta. A TWU espera financiar mil desses triciclos até Março de 2019.

A empresa teve uma facturação de 523.500 USD para o ano fiscal de 2018 (Abril de 2017 a Março de 2018) e espera chegar a 31 milhões USD até 2022. Enquanto isso, os 6 milhões de riquixás motorizados da Índia oferecem à empresa uma oportunidade de empréstimo de 13,8 mil milhões USD, com um mercado potencial de 500 mil triciclos motorizados por ano.

(artigo publicado na edição 508 do Expansão, de sexta-feira, dia 25 de Janeiro de 2019, disponível em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)


Solutions&Co

Nota: Pelo segundo ano, o Expansão integra o projecto Solutions&Co que, este ano, arrancou a 3 de Dezembro, data de início da COP 24, Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas. Durante várias semanas, divulgamos projectos empresariais amigos do ambiente de vários países.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i