Director Carlos Rosado de Carvalho

Forum moçambicano pede ao Reino Unido para investigar bancos e cancelar "dívidas ocultas"

Forum moçambicano pede ao Reino Unido para investigar bancos e cancelar "dívidas ocultas"
Foto: D.R.

FMO quer intervenção do Reino Unido no caso das "dívidas ocultas", na semana em que na África do Sul a extradição do ex-ministro moçambicano das Finanças causa polémica entre ministérios.

O Forum de Monitoria do Orçamento (FMO), que integra várias organizações da sociedade civil, lançou uma campanha para exigir ao secretário Económico do Tesouro do Reino Unido, John Glen, que investigue os bancos britânicos que concederam empréstimos "ilegais" às empresas públicas EMATUM, MAM e ProIndicus e que cancele as dívidas, num montante superior a 2 mil milhões USD.

"Embora Moçambique tenha poderes para declarar as dívidas ilegais", o FMO considera que o cancelamento deve ser feito no Reino Unido, como refere numa petição apoiada por mais de duas dezenas de organizações.

No documento, o FMO pede a John Glen que ordene ao Gabinete de Fraudes Graves e à Autoridade de Conduta Financeira britânica a "responsabilização dos funcionários e dos bancos envolvidos no escândalo", à semelhança do que fez a justiça dos EUA.

O Forum sublinha que as acusações da justiça americana contra o ex-ministro das Finanças, Manuel Chang, detido a 29 de Dezembro, na África do Sul, e aos gestores seniores do Credit Suisse e da Privinvest fornecem evidências sólidas de "conduta criminal" nas transacções para financiar as empresas EMATUM, ProIndicus e MAM", tendo gerado "benefícios em subornos e comissões" aos acusados. (...)

(Leia o artigo integral na edição 512 do Expansão, de sexta-feira, dia 22 de Fevereiro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i