Crude já valorizou 30% desde o início do ano

Crude já valorizou 30% desde o início do ano

Apesar da subida, o futuro do "ouro negro" continua incerto, com a Rússia a admitir abandonar o acordo de cortes de produção da OPEP. Exportações do Irão cairam 1 milhão de barris por dia esta semana.

Os preços do crude continuam a subir. O barril do Brent atingiu os 72 USD, impulsionado, novamente, pela redução da oferta. Esta semana esteve em destaque o Irão, cujas exportações terão caído para cerca de 1 milhão de barris por dia (Mbpd).

A diminuição nos volumes exportados está relacionada com o possível reforço das sanções dos EUA, o que já levou alguns países a recorrer a substitutos. Cumpre notar que, comparativamente ao mês de Abril de 2018 (mês anterior à decisão de os EUA abandonarem o acordo nuclear com o Irão), a redução nas exportações é substancial (-1,5 Mbpd).

Outro factor que contribuiu para a subida dos preços foi a divulgação de dados económicos da China. A segunda maior economia do mundo terá crescido 6,4% no primeiro trimestre, o mesmo que nos últimos três meses de 2018, contrariando as perspectivas que apontavam para um abrandamento devido às tensões comerciais com os EUA.

Embora o crude tenha valorizado mais de 30% desde o início do ano, o seu futuro permanece incerto. O ministro russo da Energia revelou que o país poderá abandonar o acordo de cortes na produção, em Junho. (...)


(Leia o artigo integral na edição 520 do Expansão, de quarta-feira, dia 18 de Abril de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

`Banco Angolano de Investimentos

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i