Director João Armando

Sanções ao Irão fazem disparar preço do crude

Sanções ao Irão fazem disparar preço do crude

A partir de 2 de Maio, qualquer país que compre petróleo iraniano estará sujeito a sanções da maior economia mundial. China já veio criticar ameaças dos EUA, contribuindo a para subida dos preços.

A maior economia mundial, que em Novembro tinha permitido que 8 países continuassem a comprar quantidades limitadas de petróleo ao Irão durante 6 meses, anunciou que qualquer país que compre petróleo iraniano a partir do dia 2 de Maio estará sujeito a sanções.

A notícia, que já mereceu críticas por parte de países como a China, contribuiu para a subida dos preços do crude, tendo o Brent atingido temporariamente os 75 USD.

A matéria-prima também foi impulsionada pelo aumento das reservas petrolíferas norte-americanas na semana passada. Os stocks cresceram 5,5 milhões de barris, contrariando as expectativas dos analistas que apontavam para uma subida de 1,3 milhões. As reservas atingiram os 460 milhões, o ponto mais alto desde Outubro de 2017.

No que diz respeito ao futuro dos preços, as sanções ao Irão ditarão, possivelmente, a remoção de 1 milhão de barris do mercado, o que isoladamente limitaria a oferta e consequentemente levaria a um aumento dos preços. (...)


(Leia o artigo integral na edição 521 do Expansão, de quarta-feira, dia 26 de Abril de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

*Banco Angolano de Investimentos

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i