Preço do crude baixa e contraria expectativas

Preço do crude baixa e contraria expectativas
Foto: D.R.

Com o dissipar dos receios em torno da situação política da Venezuela e com o aumento da produção norte-americana, o crude acabou por registar uma queda face à semana anterior.

O petróleo esteve a ser sustentado ao longo da semana pelos desenvolvimentos na Venezuela e pela guerra civil da Líbia, que poderiam resultar numa redução da oferta.

Porém, com o dissipar dos receios em torno da situação política da Venezuela e com o aumento da produção norte-americana, que na semana passada atingiu um nível recorde de 12,3 milhões de barris por dia, os preços inverteram a tendência e o crude acabou por registar uma queda face à semana anterior.

O Brent está agora a ser negociado perto dos 72 USD. O ministro da energia da Arábia Saudita veio a público dizer que o acordo de cortes da OPEP e aliados poderá ser prorrogado até ao final de 2019. A ocorrer, poderá observar- se uma subida nos preços.

Nos mercados, à semelhança do que ocorreu na semana passada, as empresas continuaram a divulgar os seus resultados. Neste sentido, importa fazer menção à Apple que voltou a valer 1 bilião de dólares. Também esteve em destaque a decisão da Reserva Federal (Fed) de não alterar os juros, o que acabou por pesar nas bolsas norte-americanas. O anúncio levou o dólar, que no ano passado beneficiou de várias subidas dos juros, a perder terreno face ao euro. (...)


(Leia o artigo integral na edição 522 do Expansão, de quarta-feira, dia 3 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

*Banco Angolano de Investimentos

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i