Director João Armando

Tensões comerciais aumentam receios

Tensões comerciais aumentam receios

Aumento das tarifas a produtos chineses nos EUA e consequente acentuar das tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo afastou os investidores de activos de maior risco como o petróleo.

O presidente dos EUA anunciou que irá aumentar, de 10% para 25%, as tarifas que incidem sobre determinados bens chineses avaliados em 200 mil milhões USD. Esta notícia levou a um clima de incertezas nos mercados financeiros, o que fez com que os investidores abandonassem os activos de maior risco, como o petróleo.

Por outro lado, o acentuar das tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo, voltou a suscitar dúvidas relativamente ao crescimento económico mundial. Com isto, o Brent resvalou e passou a ser transaccionado a aproximadamente 70 USD por barril.

Contudo, a queda foi amparada pelo recuar dos inventários petrolíferos norte-americanos na semana passada (-4 milhões de barris), contrariando as perspectivas dos analistas, que previam uma subida de 1,2 milhões de barris.

Com a driving season, que vai de Abril a Setembro, espera-se que os níveis da procura se mantenham elevados, contribuindo para um aumento dos preços do crude. De acordo com a Energy Information Administration (EIA), os stocks de gasolina caíram na América do Norte, o que vai ao encontro do que é expectável para esta altura do ano. (...)

*Banco Angolano de Investimentos


(Leia o artigo integral na edição 523 do Expansão, de quarta-feira, dia 10 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i