Director João Armando

China anuncia novo mecanismo de financiamento a Angola diferente das linhas de crédito

China anuncia novo mecanismo de financiamento a Angola diferente das linhas de crédito

O governo chinês tem disponível um novo instrumento para financiar projectos de infraestruturas públicas, que abrange ainda investimentos do sector privado.

Angola pode concorrer a financiamentos do fundo da Rota da Seda, que tem disponíveis entre 30 a 50 mil milhões USD para a construção de infraestruturas em vários países, anunciou o embaixador chinês no País, Gong Tao.

Angola aderiu ao projecto "Uma Faixa e Uma Rota", em Setembro de 2019, com a assinatura de um memorando durante a visita oficial do Presidente da República, João Lourenço, ao país de Xi Jinping, podendo, a partir daí, candidatar projectos.

"É um fundo aberto a todos os países que participam na iniciativa "Uma Faixa e Uma Rota" e Angola, durante o seu processo de desenvolvimento e construção, para além de financiamentos no âmbito dos acordos de cooperação bilateral, pode usar os fundos da Rota da Seda", disse Gong Tao, durante um encontro com jornalistas, em Luanda.

O diplomata esclareceu que o fundo tem disponíveis até 50 mil milhões USD, variando em função das candidaturas.

"O valor total do fundo está entre os 30 e os 50 mil milhões USD, mas é um fundo com valor volátil. Se for necessário podemos injectar fundos frescos para as necessidades", explicou Gong Tao, que disse desconhecer se Angola já apresentou projectos.

A preferência na disponibilização de fundos, segundo o embaixador chinês, recai em iniciativas viradas para infraestruturas públicas e projectos de investimento, que podem também beneficiar o sector privado. (...)


(Leia o artigo integral na edição 523 do Expansão, de quarta-feira, dia 10 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i