"Vamos dar um enfoque especial aos novos escritores angolanos"

"Vamos dar um enfoque especial aos novos escritores angolanos"
Foto: D.R.

Ricardo Rodrigues nasceu no Lobito. Fundou uma editora em Portugal, a Perfil Criativo, onde desde 2015 publica autores angolanos. Junta-se agora a Marcolino Moco e à sua editora, para lançar um novo projecto em Angola - Alende Edições. A apresentação será na segunda-feira, e até ao dia 24 vai promover na capital do País uma série de actividades com os autores desta nova editora.

Quais as motivações do lançamento de uma nova editora no mercado angolano?
Desde 2015, que estamos a publicar, em Portugal, pela Perfil Criativo, livros de novos autores angolanos. Desde essa altura, participei em dezenas de lançamentos, muitos em Angola. Este trabalho no terreno deu para perceber que está quase tudo por fazer e, nesse sentido, é uma oportunidade única para avançar. Os nossos autores estão muito satisfeitos com o trabalho da nossa equipa, muitos referem que é um verdadeiro "serviço público". É deste caminho que nasce a Alende-Edições.

Quem são os promotores?
Esta nova marca aparece de uma parceria entre a Marmoco Criações, de Angola, e a Perfil Criativo, de Portugal. O Dr. [Marcolino] Moco foi obrigado a criar a Marmoco porque nenhuma editora, em Angola e em Portugal, estava disponível para publicar os seus livros, por outro lado, eu estava a publicar muitos autores de Angola pela Perfil Criativo e queria dar continuidade a este trabalho de uma forma mais eficaz.

Onde se posiciona e que tipo de obras vai publicar?
Estamos a publicar poesia, romance, crónica, memória, história, livros técnicos e científicos, para já exclusivamente de autores de Angola, dando um foco especial aos novos autores e escritores. Aproveito para dar um conselho aos novos escritores: antes de entrarem em contacto com a nossa editora, aconselhem- se junto dos mais-velhos, mais experientes na arte da língua e no domínio dos temas abordados, porque vamos ser cada vez mais exigentes nos textos que vamos aceitar publicar.

Tem já acordos com alguns parceiros?
No sentido de melhor perceber o processo de distribuição fora de Luanda já estamos a programar uma segunda grande actividade, ainda este ano, e que vai passar pelo Huambo, Huíla, Benguela e Malanje.

Existem escritores/poetas em Angola que justifiquem esta aposta?
Existem. Mas, infelizmente, o País não dá valor a estas pessoas. Na minha opinião, faz mal, porque são os verdadeiros diamantes. Em 2016, num grande evento literário angolano que realizámos na sede da CPLP, questionei o embaixador de Angola na CPLP se sabia quantos novos autores nascem por ano em Angola e quantos livros são publicados. Não sabia, e tenho a impressão que na equipa do Governo também não devem saber.

Que obras vão destacar neste período de lançamento?
Para além destes lançamentos, vamos ter disponíveis para os leitores de Luanda outros livros publicados pela nossa editora, e que podem ser descobertos em www.autores.club. Temos interesse em descobrir obras guardadas na gaveta, e não fazemos restrições aos temas ou forma da escrita. Apenas a exigência na qualidade e no interesse público da obra.

Os livros da Alende serão também comercializados em Portugal?
As nossas edições, salvo alguma excepção, serão sempre duplas. Isto é, o livro é publicado em Angola pela Alende - Edições e em Portugal pela Perfil Criativo - Edições, desta forma chegamos aos leitores dos dois países. Durante este mês de Maio, os livros da Alende/Perfil Criativo vão estar na Feira do Livro da VII Bienal de Culturas Lusófonas, em Odivelas (Portugal). No próximo mês de Junho, pela primeira vez, vamos estar na Feira do Livro de Lisboa. Em Julho rumamos para a cidade da Praia para realizar um primeiro encontro internacional de escritores em Cabo Verde.

Que tipo de motivações tem um editor tendo em conta que se lê cada vez menos no nosso País?
A motivação é enorme, se o País conseguisse ter 5% de população a ler regularmente, tínhamos cerca de um milhão e quinhentos mil leitores, a edição de livros seria viabilizada, as artes, a indústria e, em especial, a agricultura teria um desenvolvimento expressivo e, eventualmente, dos escombros, os valores africanos seriam recuperados.


Plano de Actividades

13 MAIO | SEGUNDA-FEIRA | LIGA AFRICANA
18h00 | Apresentação da nova editora ALENDE-EDIÇÕES
18h30 | ESTADO-NAÇÃO OU ESTADO-ETNIA POLÍTICA?, de Marcolino Moco, publicado em 2015.

14 MAIO | TERÇA-FEIRA | MEDIATECA DE LUANDA
18h30 | SARRABULHADA II, de Nível (Miguel Neto)

16 MAIO | QUINTA-FEIRA | BIBLIOTECA NACIONAL
18h00 | Entrega de livros para o acervo da Biblioteca Nacional
18h30 | O PAPEL DO ESCRITOR NA SOCIEDADE COLONIAL ANGOLANA, de João Ngola Trindade

17 MAIO | SEXTA-FEIRA | BIBLIOTECA NACIONAL
16h30 | Apresentação da colecção POESIA NO BOLSO (1º parte)
17h00 | O CORPO DE ALEXANDRA, de Ventura de Azevedo
18h00 | EVANGELHO BANTU, de Kalunga (João André)

18 MAIO | SÁBADO | RÁDIO LAC - LUANDA ANTENA COMERCIAL
11h00 | DO CAPITÃO GONÇALVES ZARCO AO CAPITÃO JAIR BOLSONARO - MOVIMENTOS PENDULARES DE ECONOMIA E PODER NO ATLÂNTICO SUL, de Jonuel Gonçalves
TRANSMISSÃO EM DIRECTO NA LAC

19 MAIO | DOMINGO | CASA DE CULTURA E ARTES - UBUNTU
14h00 | O LADO OVIMBUNDU DE AGOSTINHO NETO, de Bernardino Luacute
TRANSMISSÃO EM DIRECTO NA RÁDIO ECCLESIA

23 MAIO | QUINTA-FEIRA | (LOCAL A INDICAR)
18h00 | Colecção POESIA NO BOLSO (2ª parte) 18h30 | RAÍZES CANTAM, de Job Sipitali
19h30 | INSURREIÇÃO DOS SIGNOS, de Hélder Simbad

24 MAIO | SEXTA-FEIRA | CASA DE CULTURA E ARTES - UBUNTU
18h00 | Encontro com escritores na Casa Ubuntu (Associação Cultural), encerramento das actividades "Maio em Luanda", da Alende - Edições.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i