Ambiente de negócios em Angola trava competividade da indústria turística

Ambiente de negócios em Angola trava competividade da indústria turística
Foto: César Magalhães

João Lourenço elegeu o Turismo como sector estratégico na diversificação da economia. Aposta que passa, a curto e médio prazos, pela construção de infraestruturas hoteleiras.

Os operadores do turismo em Angola, presentes no 1.º Fórum Mundial do Turismo (WTF), que o País acolhe, reconhecem que o ambiente de negócios actual tem vindo a reduzir a sua actividade, com um impacto negativo nas receitas.

Os elevados custos operacionais e o crédito malparado, resultante da incapacidade dos empresários em honrar os seus compromissos com a banca devido à quebra de receitas, são apontados como factores catastróficos para quem elegeu a promoção do turismo como negócio.

A situação económica é "desconfortável" para os hoteleiros, porque tem vindo a provocar a redução da taxa de ocupação. Os últimos dados indicam que a taxa de ocupação dos quartos na cidade de Luanda rondou os 40%, ou seja, em 10 quartos disponíveis, seis estiveram vazios.

A Associação dos Hotéis e Resorts de Angola (AHRA) diz que a situação continua catastrófica e revela que o quadro é mais grave no interior do País, onde vários hotéis e similares encerraram por falta de turistas, mesmo com a abertura na concessão dos vistos. (...)


(Leia o artigo integral na edição 525 do Expansão, de quarta-feira, dia 24 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i