BNA volta a baixar taxa de juro com a descida da inflação

BNA volta a baixar taxa de juro com a descida da inflação
Foto: César Magalhães

Redução em 0,25 pontos percentuais da Taxa BNA é o terceiro "desaperto" da política monetária desde 2017, depois de cinco anos sempre a subir, em que chegou a dez "apertos" da taxa do banco central. A decisão é sustentada pelo facto da inflação homóloga continuar com a sua trajectória decrescente.

O Comité de Política Monetária do Banco Nacional de Angola (CPM /BNA) baixou a Taxa BNA de 15,75% para 15,50%, tratando-se do terceiro "desaperto" da política monetária desde 2017, e manteve inalterados os coeficientes das Reservas Obrigatórias em moeda nacional (17%) e estrangeira (15%), bem como da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez em 0%.

Esta redução em 0,25 pontos percentuais da Taxa BNA é o terceiro "desaperto" da política monetária desde 2017, depois de cinco anos sempre a subir, em que chegou a dez "apertos" da taxa do banco central, e é sustentada pelo facto da inflação homóloga continuar com a sua trajectória decrescente, bem como pela evolução da Base Monetária em moeda nacional.

O BNA não determina as taxas de juro dos bancos comerciais, mas pode influenciá-las, através, precisamente, da taxa conhecida por "Taxa BNA", que serve de referência ao mercado interbancário, no qual os bancos que têm excesso de liquidez emprestam dinheiro aos bancos que precisam de liquidez.

Estas trocas de liquidez fazem-se a uma taxa de juro chamada LUIBOR, acrónimo inglês de taxa interbancária de oferta de fundos do mercado de Luanda. Se a taxa básica serve de referência às taxas LUIBOR, estas servem de referência às taxas de juro de crédito a clientes. (...)

(Leia o artigo integral na edição 526 do Expansão, de quarta-feira, dia 31 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i