Director João Armando

Somos ganhadores

Somos ganhadores
Foto: D.R.

Ninguém nasce ganhador, tudo se conquista pela aprendizagem contínua e pela procura do triunfo próprio, criando uma cadeia de valor e competência, aliada de um sucesso então merecido.

Da mesma forma que um líder não nasce, faz-se, a história ensina-nos de que dos fracos não reza a história.
Veja-se o exemplo de Lincoln, que entre 1831 e 1858, fracassou duas vezes nos negócios, perdeu sete vezes as suas diversas candidaturas, já não falando de uma crise nervosa em 1836 a meio de todo este percurso. Mas, finalmente em 1860 é eleito presidente e claro que dele reza a história.
Em cada problema, confronto ou situação mais difícil, percebemos que a luta, sempre que temos consciência das nossa capacidades, nos permite ser persistentes e conquistar objectivos, sem medo nem hesitações, com o talento e capacidade intelectual (falo de experiência consolidada), tão importante para ultrapassar barreiras.
É esta luta quotidiana que nos dá adrenalina e faz perceber que para evoluir é preciso procurar, pensar, consolidar conhecimento e agir sem medo.
O insucesso, ou o "azar", é a arma dos fracos, que não só não sabem utilizar os meios de que dispõem, como muitas vezes, passam os problemas para os outros.
Falta-lhes determinação, vontade própria, pois se o comprometimento é forte, nada pode justificar o fracasso.
Ser triunfador, é por isso um dilema, saber sofrer, persistir, ser realista, pragmático, enérgico e decidido, ou fazer mais do mesmo.

(Leia o artigo na integra na edição 526 do Expansão, de sexta-feira 31 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i