Petróleo caiu 9 USD desde início do mês

Petróleo caiu 9 USD desde início do mês

A subida inesperada dos inventários petrolíferos norte-americanos e o aumento das tensões comerciais entre EUA e China, as duas maiores economias do mundo, voltou a pesar nos preços.

O aumento das tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo, voltou a levantar receios relativamente aos futuros níveis da procura do petróleo e, consequentemente, pesou nos preços da matéria-prima. Além disso, os inventários petrolíferos norte-americanos tiveram uma subida inesperada, de 2,4 milhões de barris na semana passada, num momento em que os investidores antecipavam um recuo dos stocks, na ordem dos 2,8 milhões de barris.

A conjugação destes factores levou o Brent, que serve de referência para o petróleo angolano, a atingir os 56 USD por barril, um resvalo superior a 20% face ao pico atingido no mês de Abril.

A semana ficou igualmente marcada por declarações vindas do Irão. O país, membro da OPEP, que outrora exportou acima dos 2 milhões de barris por dia, e que actualmente vende aproximadamente 100 mil barris por dia ao estrangeiro, ameaçou bloquear o Estreito de Ormuz, por onde passa cerca de 20% do petróleo mundial.

A ocorrer, este cenário poderá traduzir-se num estímulo para o aumento dos preços. Nos mercados financeiros, também esteve em destaque o diferendo entre os Estados Unidos e a China. (...)


(Leia o artigo integral na edição 536 do Expansão, de sexta-feira, dia 9 de Agosto de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

*Banco Angolano de Investimentos

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i