Crude nos 64 USD apesar de ataque na Arábia Saudita

Crude nos 64 USD apesar de ataque na Arábia Saudita

Para os próximos dias, a trajectória dos preços deverá estar condicionada tanto pela velocidade no restabelecimento da produção saudita como pelas acções de outros importantes produtores.

Os recentes ataques a instalações petrolíferas da Arábia Saudita retiraram à produção do país quase 5,7 milhões de barris e implicaram a redução de 5% da oferta mundial. Em consequência, o Brent, transaccionado no mercado londrino, fechou a sessão de quarta-feira a rondar os 64 USD por barril, o que representa um ganho semanal acumulado de 7%. De referir que após as notícias do ataque, os preços do crude experienciaram, imediatamente, aumentos significativos, chegando mesmo a atingir os 72 USD.

Contudo, os ganhos moderaram após declarações de representantes da Saudi Aramco e do Primeiro-Ministro do país. As autoridades sauditas garantiram que, o processamento da matéria-prima estaria totalmente recuperado até o final do corrente mês, devendo o nível de produção superar os anteriores 9,6 milhões de barris.

Também, o aumento semanal das reservas norte-americanas ajudou a atenuar a subida dos preços. Segundo o U.S. Energy Information Administration, os inventários petrolíferos do país tiveram o seu primeiro aumento das últimas 5 semanas, tendo-se situado nos 417 milhões de barris.

Para os próximos dias, a trajectória dos preços deverá estar condicionada tanto pela velocidade no restabelecimento da produção saudita como pelas acções de outros importantes produtores. (...)

(Leia o artigo integral na edição 542 do Expansão, de sexta-feira, dia 20 de Setembro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

*Banco Angolano de Investimentos

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i