Sistema de prevenção e combate ao branqueamento de capitais avaliado em 2021

Sistema de prevenção e combate ao branqueamento de capitais avaliado em 2021
Foto: D.R.

A directora da UIF confirma que a promulgação da lei sobre o branqueamento de capitais apenas ocorrerá após 15 de Outubro. Angola vai falhar pela segunda vez uma meta assumida com o FMI.

A Unidade de Informação Financeira (UIF) e o Banco Nacional de Angola (BNA) promoveram nesta quinta-feira uma conferência sobre a preparação da avaliação mútua do sistema de prevenção e combate ao branqueamento de capitais, financiamento ao terrorismo e o financiamento da proliferação de armas de destruição maciças.
Segundo a Directora da UIF Francisca Massango de Brito, o evento serviu para reforçar a comunicação entre as instituições, e determinar a melhor aplicação de recursos em função dos riscos, dado que o País "está a preparar-se para avaliação mútua do seu sistema financeiro, iniciativa a ter lugar já em 2021".
Participaram no evento, os outros órgãos supervisores e reguladores do sistema financeiro no caso, a Comissão do Mercado de Capitais (CMC) e a Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG). Participaram igualmente a Ordem dos Contabilistas e dos Peritos Contabilistas de Angola (OCPCA) e a Ordem dos Advogados de Angola (OAA), o Instituto de Supervisão de Jogos, a Administração Geral Tributária (AGT), o Serviço de Investigação Criminal (SIC) e a Procuradoria Geral da República (PGR).
(Leia o artigo na integra na edição 543 do Expansão, de sexta-feira 27 de Setembro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i