País perdeu quase 300 mil postos de trabalho em três meses

País perdeu quase 300 mil postos de trabalho em três meses
Foto: Lídia Onde

Com 2,5 milhões de desempregados, os jovens continuam a ser as principais vítimas da crise. Nos últimos três meses perdeu-se quase o dobro dos 162 mil postos de trabalhos que, segundo o discurso do Presidente João Lourenço sobre o Estado da Nação, foram criados nestes dois anos.

O País perdeu quase 300 mil postos de trabalho no espaço de três meses, com a taxa de desemprego da população com 15 ou mais anos a subir dos 29% para os 30,7% no período entre Julho e Setembro de 2019, o que significa que cerca de 4,2 milhões de angolanos estavam desempregados. Destes, 2,5 milhões são jovens, entre os 15 e os 24 anos, revelam os dados do Inquérito Sobre o Emprego em Angola (IEA) no III trimestre divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

A faixa etária entre os 15 e os 24 anos é aquela onde existe mais desemprego, representando 56% do total de desempregados do País. Nesta faixa etária, houve um aumento do número de pessoas economicamente activas (+25 mil) face ao trimestre anterior, para 4,4 milhões, com cerca de 2,5 milhões (+112 mil) a estarem desempregados e 1,9 milhões empregados (-88 mil). Quanto à população inactiva nesta faixa etária também aumentou do II trimestre para o III, passando de 1,249 milhões para 1,295 milhões de jovens que não estudam nem procuram emprego.

Este fenómeno da inactividade nos mais jovens é considerado "preocupante" já que um jovem que não trabalha nem estuda num contexto de um país empobrecido pode ser um potencial criminoso, alertam especialistas. (...)

(Leia o artigo integral na edição 548 do Expansão, de sexta-feira, dia 1 de Novembro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i