A cultura 'Digital-First' e Automação Inteligente são as fundações para o futuro das organizações

A cultura 'Digital-First' e Automação Inteligente são as fundações para o futuro das organizações
Foto: DR

Os verdadeiros líderes serão aqueles que conseguirem reinventar o seu negócio e processos, complementando o seu capital humano com a tecnologia. Mas esta transformação não é apenas sobre tecnologia, é sobre mudança e, portanto, vai exigir uma cuidada gestão de mudança ao longo da jornada.

A transformação que os negócios e a sociedade estão a enfrentar implica uma reinvenção dos processos core que definem o negócio, e também do papel das pessoas em toda a extensão das funções ou departamentos (como trabalham, o que fazem e as suas interacções com os clientes). Esta revolução exige não só novos modelos operativos e de negócio, como também novas formas de trabalhar que têm necessariamente de estar embebidas no ADN das organizações e das marcas de sucesso do futuro.

Os verdadeiros líderes serão aqueles que conseguirem reinventar o seu negócio e processos, complementando o seu capital humano com a tecnologia. Mas esta transformação não é apenas sobre tecnologia, é sobre mudança e, portanto, vai exigir uma cuidada gestão de mudança ao longo da jornada.

A transformação dos modelos operacionais e de negócio passará por uma abordagem que prioriza e equilibra as necessidades com os objectivos. Havendo dois aspectos fundamentais a considerar:

- Os gestores têm de liderar e definir claramente o caminho, tomando decisões ousadas relativamente ao dimensionamento das funções de negócio; As organizações devem garantir que têm o talento interno e capacidade para implementar esta transformação e também colher os benefícios da mesma.

- A automação não se resume à disponibilização de soluções, é necessário a transformação do modelo operacional e de negócio tendo na sua base a analítica de dados e a tecnologia, ambas suportadas pelas pessoas.

As tecnologias de RPA (Robotics Process Automation) e workflows baseados em regras de negócio permitem uma automação básica, no backoffice das organizações, nomeadamente nos departamentos financeiros, compras ou recursos humanos

*Associate Partner da KPMG

(Leia o artigo integral na edição 554 do Expansão, de sexta-feira, dia 13 de Dezembro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i