Brent em máximos de três meses

Brent em máximos de três meses

Mercados animaram com o acordo parcial entre China e Estados Unidos que suspendeu novas tarifas, bem como com a vitória do Partido Conservador no Reino Unido, que permite avançar com o Brexit.

Olhando para o mercado petrolífero, a matéria-prima continuou, nesta semana, a ser beneficiada pela redução da volatilidade nos mercados. O Brent fechou a semana a rondar os 66 USD por barril, o que correspondeu a um máximo de quase 3 meses.

A volatilidade que se tem assistido nos mercados, nos últimos tempos, tem agora espaço para reduzir significativamente, devido ao avanço nas negociações entre os EUA e a China. Os governos das duas maiores economias do mundo anunciaram ter chegado a um acordo parcial na última quinta-feira, o que levou à suspensão das novas tarifas que entrariam em vigor no domingo passado.

Associado a isto, esteve a vitória do Partido Conservador no Reino Unido, com um resultado que permitiria ao actual primeiro- ministro do país avançar com o Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia) até 31 de Janeiro, tal como tem sido pretendido.

Neste contexto, as bolsas tiveram uma semana de ganhos, demonstrando um maior optimismo em relação ao crescimento económico mundial. Nos EUA, os índices bolsistas renovaram máximos históricos, com o Nasdaq Composite a ser o que mais valorizou (+1,06%). Na Europa, o destaque vai para o índice FTSE 100, da bolsa de Londres, que teve o maior ganho entre as principais bolsas do continente (+3%). (...)

(Leia o artigo integral na edição 555 do Expansão, de sexta-feira, dia 20 de Dezembro de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i