Preços das propinas nos colégios privados sobem até 60%

Preços das propinas nos colégios privados sobem até 60%

A entidade reguladora de preços ainda não autorizou, mas algumas instituições representadas pela Associação Nacional do Ensino Particular já procederam a aumentos de preços de propinas e outras despesas que irão pesar nos orçamentos dos encarregados de educação.

Os colégios privados aumentaram os preços das propinas, de matrículas e de outros emolumentos para este ano lectivo, em alguns casos até 60%, isto mesmo depois de o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) proibir aumentos sem a anuência do Instituto de Preços e Concorrência do Ministério das Finanças (IPREC), que ainda está a analisar as propostas da Associação Nacional do Ensino Particular (ANEP), que defende um reajustamento de preços (ver caixa).

Segundo apurou o Expansão, numa ronda feita em algumas instituições de ensino privado, com base nas tabelas de preços, o colégio Aurora Internacional, situado na zona do Patriota, cobrou no ano anterior 140,5 mil kz pela matrícula de novos alunos e passou a cobrar 160,5 mil kz.

O valor da propina trimestral que era 440 mil kz passou agora a 462 mil kz. Para os almoços, despesa de carácter obrigatório, os pais pagam 45 mil kwanzas, enquanto nas actividades extracurriculares (natação, ballet, teatro e outras) o valor da propina não sofreu alteração (são 35 mil kz por actividade).

O mais caro é o Colégio São Francisco de Assis, no qual as propinas e emolumentos subiram significativamente. A reconfirmação anual de matrícula (incluindo seguro escolar) custa 690 mil, acima dos anteriores 560 mil kz.

Já a propina mensal custa 561 mil, ou seja, trimestralmente os alunos pagam 1,685 milhões kz. No ano passado os alunos pagaram 1,050 milhões kz por cada trimestre, ou seja, regista-se um aumento superior a 60%.

Situado na sede do 1.° de Maio, o colégio Elizângela Filomena aumentou os preços das matrículas e outros emolumentos, sendo que no ano 2019 para as matrículas de novos alunos cobrava 80 mil e neste ano académico são 84 mil kz. O valor da mensal da propina também subiu de 55,5 mil para 60 mil kz. Valores que aumentam se somarmos o preço dos transportes que varia entre 20 mil a 29 mil kz.

No colégio Real Século XXI, sito em Viana (Luanda Sul), o valor da propina mais o almoço que era 60 mil subiu para 70 mil kz. (...)


(Leia o artigo integral na edição 557 do Expansão, de sexta-feira, dia 17 de Janeiro de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i