Brent volta a mínimos de final de 2019

Brent volta a mínimos de final de 2019

O preço do petróleo, à semelhança de outros activos nos mercados financeiros, tem sido negativamente influenciado pela preocupação sobre o impacto do vírus da China no crescimento económico do gigante asiático.

Ao longo desta semana, o preço do petróleo contraiu 3,65%, passando de 64,62 USD por barril, no dia 16 deste mês, para 62,26 USD por barril registados na manhã desta quinta feira, correspondendo a um mínimo desde o início de Dezembro do ano passado.

Apesar da descida semanal, o crude começou a semana a valorizar, beneficiando dos receios sobre a queda de produção petrolífera na Líbia e no Iraque. O maior campo de petróleo da Líbia interrompeu a produção, após as forças militares terem bloqueado uma das maiores bases de produção. De acordo com um conjunto de especialistas, é provável que este acontecimento se tenha traduzido numa redução de pelo menos 800 mil de barris por dia (bpd) na produção do País.

Ao mesmo tempo, o trabalho em um campo de petróleo no Iraque, com produção de 70 mil bpd, foi interrompido devido ao aumento de contestações sociais. Apesar das tensões geopolíticas na Líbia estarem a ter um maior impacto imediato, os investidores receiam que esta agitação no Iraque possa interromper a produção de petróleo em uma dimensão muito superior à da Líbia.

Contudo, nos últimos dias, o preço do petróleo, à semelhança de outros activos nos mercados financeiros, tem sido negativamente influenciado pela preocupação sobre o impacto do vírus da China (coronavírus) no crescimento económico do País. (...)


(Leia o artigo integral na edição 558 do Expansão, de sexta-feira, dia 24 de Janeiro de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

*Banco Angolano de Investimentos

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i