Transporte ferroviário cresce mais de 40% entre Angola e RDC

Transporte ferroviário cresce mais de 40% entre Angola e RDC
Foto: César Magalhães

Pouco a pouco a RDC está a utilizar mais o Porto do Lobito para exportar o seu manganês utilizando a linha do Caminho de Ferro de Benguela.

O transporte ferroviário de mercadorias entre Angola e a República Democrática do Congo (RDC) registou um crescimento de 94.997 em 2018 para 132.685 toneladas em 2019, um aumento de 40%, ajudando a rentabilizar o investimento feito por Angola.

O manganês é o principal produto que vem da República Democrática do Congo, sendo que na volta o comboio também leva alguns produtos que Angola está a exportar, fundamentalmente materiais de construção, com maior destaque para o cimento, e também alguns produtos agrícolas, sal e outros.

"Passados dois anos desde que foi reaberto à circulação ferroviária, o transporte de mercadorias tem sido satisfatório porque, inicialmente, era apenas no sentido descendente, ou seja, as mercadorias saiam do Congo (RDC) para o Porto do Lobito, mas agora já se verifica movimento de carga nos dois sentidos", explica Ottoniel Manuel, director geral do Instituto Nacional dos Caminhos-de-Ferro de Angola (INCFA). O responsável não avançou, no entanto, o volume de negócios gerado.

O transporte das mercadorias é efectuado através de um comboio que tem 22 vagões, e Ottoniel Manuel explica que o aumento da capacidade de transporte continua ser um dos desafios do sector. "Vamos criar várias acções no sentido de atrair um número maior de empresários, não só para fazerem o transporte de mercadorias, mas também para que invistam na melhoria da operacionalidade deste meio". (...)


(Leia o artigo integral na edição 565 do Expansão, de sexta-feira, dia 13 de Março de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i