Navegar à vista, mas com informação

Navegar à vista, mas com informação

Neste contexto de crise, a liquidez e os fluxos de tesouraria assumem o papel mais importante para "continuar a viagem". Qualquer tipo de financiamento ou acesso a incentivos, públicos ou privados, que tenham de ser rapidamente activados carecem da apresentação de demonstrações financeiras e relatórios actualizados e fidedignos.

No cenário actual, de "navegação à vista", a informação contabilística e financeira actualizada, rigorosa e atempada, assume um papel fundamental para a sobrevivência das empresas e, por inerência, também para todo o ecossistema económico-social de um país. É um "instrumento de navegação" que tem de ser, mais que nunca, bem tratado em momentos de incerteza.

A tomada de decisão rápida e segura assume grande relevância na gestão, sendo ainda mais importante em períodos de crise conhecer bem a nossa embarcação, as marés, os ventos e o fundo do mar.

A contabilidade, o reporte da informação financeira e a sua monitorização diária, assumem um papel fundamental nos planos de acção e resposta às crises empresariais. É crucial ter a informação comercial de clientes e fornecedores actualizada para manter uma saudável capacidade de gestão das cobranças e uma adequada gestão de pagamentos a terceiros. Contudo, a relevância da função contabilística e financeira é, necessariamente, muito mais do que isso.

Em tempos de maior incerteza, receber informação financeira fiável, e no momento certo, é um dos factores-chave para fundamentar a tomada de decisão. Analisar resultados e diferentes cenários, tais como a produtividade, a rentabilidade, a diminuição de vendas, os prazos médios de pagamento e de recebimento e as previsões de tesouraria, são peças imprescindíveis para conseguirmos conduzir o "barco".

Assim, e independentemente de os dados serem preparados internamente, em centros de serviços partilhados ou por um serviço subcontratado, é crítico assegurar a capacidade de resposta da função contabilística e financeira em tempos de crise. Em situações limite como a actual, é necessário ajustar os recursos existentes às necessidades de produção de informação, assegurar que a realização de trabalho remoto é compatível com as necessidades e que as tecnologias de suporte continuam a funcionar em contextos mais desafiantes. Tudo isto garantindo a segurança, a saúde e o bem-estar dos seus colaboradores e parceiros.

*Director da PwC Angola

(Leia o artigo integral na edição 572 do Expansão, de sexta-feira, dia 1 de Maio de 2020, em papel ou na versão digital disponível aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i