Transferências de 8.500 Kz para famílias mais pobres arranca este mês

Transferências de 8.500 Kz para famílias mais pobres arranca este mês
Foto: César Magalhães

Programa "Kwenda" tem como objectivo a inclusão das famílias em actividades geradoras de rendimento, bem como o fortalecimento dos mecanismos de intervenção do sistema de protecção social. Combate à pobreza extrema arranca nos municípios de Malanje, Huíla, Cuando Cubango, Cunene e Zaire.

A primeira fase do programa de transferências sociais monetárias, que visa a atribuir 8.500 Kz mensalmente a famílias em situação de pobreza arranca este mês, com a fase piloto a ser implementada em cinco municípios do País.

Denominado "Kwenda", o programa prevê abranger 1,6 milhões de famílias em todas as províncias até 2022 vai custar 420 milhões USD, em que 320 são financiados pelo Banco Mundial. Este programa já estava acordado com o Banco Mundial desde o ano passado, tratando-se de um dos programas definidos para entrar em vigor quando o Governo pusesse fim à subsidiação dos combustíveis, numa medida que visava mitigar o impacto desta medida nos mais desfavorecidos.

Entretanto, o Governo já afastou a possibilidade de acabar com os subsídios, optando por avançar com este programa nesta fase em que o país está em estado de emergência devido à Covid-19.

O programa será desenvolvido em quatro fases e prevê que cada família receba um total de 102 mil Kz, repartidos em 12 prestações mensais de 8.500 Kz cada, sendo que no restante período as famílias vão receber meios que promovam a sua inserção produtiva para a dinamização da economia rural.

"Não foi um cálculo aleatório. Se olharmos para o nível mais profundo da pobreza, este valor faz diferença e permite a promoção da economia e do comércio rural", disse Lopes Paulo, coordenador do grupo técnico de acompanhamento do projecto.

A primeira fase vai ser a de lançamento do Programa, que acontece este mês, nos municípios de Cambundi-Catembo (Malanje), Cacula (Huíla), Cuito Cuanavale (Cuando Cubango), Ombadja (Cunene) e Nzeto (Zaire).

De Junho a Dezembro acontece a segunda fase, que contempla a expansão do programa a outros municípios, sendo que as restantes fases estão previstas para 2021 e 2022, período em que fica concluído o "Kwenda". (...)


(Leia o artigo integral na edição 573 do Expansão, de sexta-feira, dia 8 de Maio de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i