Transformação digital em tempo de pandemia da Covid-19

Transformação digital em tempo de pandemia da Covid-19
Foto: D.R.

Muito se tem falado sobre "transformação digital", por isso, o tema não é novo para cidadãos ou organizações, sejam elas públicas ou privadas. A velocidade com que os diversos agentes abordavam essa transformação era bem distinta, mas com a pandemia do novo coronavírus tudo isso mudou!

A transformação digital é um conceito que foi ganhando tracção nos últimos anos, tendo a KPMG publicado diversos artigos neste jornal sobre o tema. Mais do que digitalizar processos existentes, a transformação digital olha para esses mesmos processos de negócio de uma forma crítica e procura capitalizar na tecnologia novas formas de melhor servir clientes ou cidadãos, agilizando toda a cadeia de valor, de modo a tornar os processos mais eficientes, seja em tempo ou custo.

É claro que para novas organizações, muitas vezes denominadas por startups, é bem mais fácil começar logo 100% digital uma vez que não têm o peso de um legado de pessoas e processos não digitais que têm de ser transformados. Empresas como a Allo-Táxi, Tupuca ou Soba e-Store são alguns exemplos de startups angolanas que não precisaram de fazer uma transformação digital porque já nasceram assim.

Por outro lado, as organizações que já estavam no mercado há várias décadas tinham também na sua agenda a transformação digital, e estavam a fazê-la a um determinado ritmo, de acordo com a sua estratégia, bem como o alinhamento dos vários intervenientes na cadeia de valor, fossem eles clientes, parceiros ou fornecedores. A situação de pandemia afectou agressivamente esses planos e forçou a aceleração da transformação de uma forma vertiginosa.

Os directores de informática e de tecnologia estão a ser os heróis desta aceleração. Eles tiveram de orquestrar a rápida mudança dos colaboradores para trabalharem a partir de casa, utilizando ferramentas de colaboração digital de uma forma eficiente, eficaz e segura. Tiveram ainda de acelerar os canais digitais de modo a continuar a servir os seus clientes, ao mesmo tempo que garantiam a capacidade da sua infra-estrutura para a carga acrescida.

No caso da KPMG, tínhamos um plano para a disseminação da nossa nova solução de colaboração digital pelos mais de 219.000 colaboradores espalhados por 147 países e territórios que iria durar até ao final de 2021, ou seja, pelo menos 24 meses. Este objectivo foi atingido este mês de Maio, cerca de 18 meses antes do previsto! O CEO da Microsoft Satya Nadella afirmou recentemente na conferência com os investidores e analistas, em que apresentou os resultados do primeiro trimestre do ano de 2020, que a empresa tinha visto dois anos de transformação digital em apenas dois meses. (...)

*Partner da KPMG


(Leia o artigo integral na edição 574 do Expansão, de sexta-feira, dia 15 de Maio de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i