PIIM e PAC como medidas contracíclicas? Só se a governação em Angola se reinventar!

PIIM e PAC como medidas contracíclicas? Só se a governação em Angola se reinventar!

Dados da Organização Mundial do Trabalho indicam que a actual situação de confinamento terá afectado cerca de 3,3 mil milhões de trabalhadores em todo mundo, deixou 1,2 mil milhões de pessoas desempregadas particularmente nos sectores do comércio a retalho, hospitalidade e até mesmo em alguns segmentos da indústria transformadora.

Nos Estados Unidos os principais jornais reportaram a existência de cerca de 22 milhões de desempregados em Abril último. A situação não é diferente no Reino Unido, onde apesar de o governo estar a pagar 80% do salários de cerca de 7,5 milhões de trabalhadores com vista a ajudar a manter os postos de trabalho, ainda assim, especialistas do governo acreditam que o País poderá ter mais de 2 milhões de desempregados quando terminar o confinamento. No resto da Europa a situação não difere muito. Por esta razão, os países ricos estão neste momento a adoptar medidas contracíclicas com vista a rapidamente retirarem as suas económicas de uma quase certa recessão.

Em África, os países estão com as reservas quase esgotadas e bastante endividados, o que não lhes permite fazer o mesmo. Todavia, olhando para algumas das medidas adoptadas para aliviar o impacto dessa pandemia nas economias africanas, notamos que alguns países colocaram recursos lá onde era necessário.

Por exemplo, a África do Sul, segundo o Overseas Development Institute de Londres, apresentou um pacote global avaliado em cerca de 197,2 milhões USD (3,7 mil milhões de Rands) para apoiar as empresas, dos quais 26,6 milhões USD para as PMEs em geral, 10,6 milhões USD especificamente para as empresas nos sectores do turismo e hospitalidade e 159,9 milhões USD para as empresas no sector industrial.

Na Nigéria, o banco central anunciou um pacote avaliado em cerca de 2,8 mil milhões USD para apoiar a indústria transformadora com vista a intensificar os esforços de substituição das importações e cerca de 163 milhões USD para as PMEs e famílias. Em Angola, dado o contexto de recessão, o Decreto Presidencial N.º 98/20 de 9 de Abril apresenta um valor global equivalente a 100 milhões USD (à data da sua publicação no Diário da República).

Porém notamos que o Executivo acredita que a solução está no comércio, já que através do BDA o Executivo vai disponibilizar 39,9 mil milhões Kz (26, 4 mil milhões Kz aos operadores do comércio e mais 13,5 mil Kz para as cooperativas fazerem compras) e cerca de 750 milhões Kz para 270 cooperativas (15 cooperativas por província) investirem na modernização e expansão. (...)


(Leia o artigo integral na edição 575 do Expansão, de sexta-feira, dia 22 de Maio de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i