Segredos do RH - a protecção de dados pessoais

Segredos do RH - a protecção de dados pessoais

O avanço tecnológico aumentou os riscos de vazamento de informação confidencial, daí que, além de psicólogo, contabilista, administrador, advogado e sociólogo, o gestor de recursos humanos assume também outra profissão incorporada, a de segurança da informação!

Vazou informação confidencial? A culpa é do RH!

Um pouco por todas as empresas, o RH é o primeiro a ser acusado quando informações pessoais de colaboradores são espalhadas pela empresa afora.

O mercado digital frenético aproxima as pessoas e, naturalmente, convida à partilha de informação confidencial numa rede social, em aplicativos dietéticos, em jogos e cursos online, ou nas compras digitais. Há alguns anos, era estranha a ideia de que se encontra alguém à distância de um clique. Hoje, é passível de desconfiança aquele que não for detectado na web.

Em gestão de pessoas, o avanço tecnológico permitiu parametrizar o trabalho burocrático e potencializar as práticas de desenvolvimento da produtividade do capital humano. Porém, aumentaram os riscos de vazamento de informação confidencial, daí que, além de psicólogo, contabilista, administrador, advogado e sociólogo, o gestor de recursos humanos assume também outra profissão incorporada, a de segurança da informação!

De forma a mitigar o efeito negativo da globalização digital, foi aprovada em Angola a Lei 22/11, de 17 de junho, sobre a Protecção de Dados Pessoais (LPDP), que tem uma implicação significativa na acção do departamento de capital humano, na medida em que esta lei influência a gestão de cadastro dos colaboradores que contém informações de dados pessoais e sensíveis.

*Gestora de Recursos Humanos e Professora Universitária

(Leia o artigo integral na edição 578 do Expansão, de sexta-feira, dia 12 de Junho de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i