"Em termos jurídicos, ser actor não é profissão em Angola"

"Em termos jurídicos, ser actor não é profissão em Angola"
Foto: D.R.

Faz teatro há sensivelmente 20 anos, em paralelo com outras actividades. Com espectáculos suspensos, Solange Feijó está empenhada numa campanha para apoiar actores em dificuldade. A classe aguarda a regulamentação da profissão de actor, defende.

Como está a viver esta fase de isolamento social, enquanto actriz de teatro?

É uma fase complicada para todos nós, artistas. Como se sabe, não se realizam actividades. A área do entretenimento, da cultura, foi das primeiras a ser fechada e, de certa, será a última a ser reaberta. Os actores têm muitas dificuldades. Não temos palcos, dependemos do público, que não pode sair das suas casas. É uma situação completamente anormal, fora daquilo que é a nossa realidade. Não falo muito do meu caso, porque, além do teatro, faço outros trabalhos, mas há muitos actores que estão a enfrentar necessidades. Uns trabalham como moto taxistas, outros nas roulottes, por exemplo, e como essas actividades estão com muitas restrições, eles vivem com dificuldades.


O que estão a fazer para sobreviver?

Estou a realizar uma campanha de recolha de donativos para ajudar esses actores.


Teve de cancelar actividades? Quais?

Tive de cancelar vários espectáculos, em Março, até o do dia 27, para celebrar o Dia Mundial do Teatro. Fiz alguma resistência, mas não tive como manter o espectáculo. Começámos a ver a realidade de outros países e tivemos receio que o vírus entrasse em Angola. Também em Março cancelámos o Festival Infantil de Teatro. Tinha agendado para Novembro uma Feira para a Criança, mas também teremos de adiar. Adiei tudo o que tem a ver com o teatro. Estou ansiosa para que, no próximo ano, as coisas mudem e que possamos realizar as actividades que não conseguimos fazer antes.


Vão ficar de braços cruzados até a situação passar ou pensam fazer alguma live através das redes sociais?

Estamos a pensar numa live, mas estamos a pesar os prós e contras. Uma coisa é um cantor actuar, outra é um grupo de teatro. Existem condições técnicas, por exemplo. O espectáculo de um grupo de teatro tem primeiro de ser filmado e depois é que é exibido. Então, não será um directo, como um cantor em palco, com uma guitarra. São áreas específicas, que exigem condições diferentes, a não ser que se trate de um monólogo ou um diálogo entre dois actores.

(Leia o artigo integral na edição 578 do Expansão, de sexta-feira, dia 12 de Junho de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i