Pólo Diamantífero de Saurimo terá estatuto de uma zona franca

Pólo Diamantífero de Saurimo terá estatuto de uma zona franca
Foto: D.R.

O País produziu 9 milhões de quilates de diamantes no ano passado, 90% dos quais tem origem na Lunda Sul, onde está a ser construído o Pólo de 77 milhões USD.

O Pólo de Desenvolvimento Diamantífero da Lunda Sul, que tem a sua conclusão prevista para Novembro próximo, vai ter o estatuto de uma zona franca, com o objectivo de criar mais incentivos e promover investimento directo estrangeiro e nacional e gerar emprego.

A informação foi avançada pelo ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, no encontro que decorreu esta semana para apresentação do Pólo aos investidores nacionais e estrangeiros interessados em desenvolver negócios, naquela que será a segunda Zona Franca do País, depois da Zona Económica Especial Luanda -Bengo.

A criação do Pólo vai permitir ao País desenvolver a Bolsa de Diamantes, mas também aumentar a produção da "pedra preciosa", bem como reduzir o garimpo e elevar a capacidade de lapidação, que deverá atingir os 20% do total da produção diamantífera em Angola. "É um desafio enorme, não é fácil chegar a 20% da lapidação", disse Diamantino Azevedo. Em 2019, o País exportou 5 milhões USD em diamantes lapidados.


O projecto é um investimento de 77 milhões USD da SODIAM e na primeira fase vai contar com quatro fábricas de lapidação de diamantes, que se vão juntar às quatro já existentes no País.

(Leia o artigo integral na edição 579 do Expansão, de sexta-feira, dia 19 de Junho de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i