Banco Económico, Standard Chartered Bank e Banco Sol sem contas de 2019 "em dia"

Banco Económico, Standard Chartered Bank e Banco Sol sem contas de 2019 "em dia"
Foto: D.R.

O ex-BESA é o campeão dos atrasos na publicação de contas, já que nem o balancete do primeiro trimestre de 2020 foi divulgado. Os três bancos estão há mais de dois meses fora do prazo legal para publicação das contas anuais.

Os bancos Económico (BE), Standard Chartered (SCBA) e Sol não têm as contas consolidadas do exercício financeiro de 2019 nem as demonstrações financeiras divulgadas nos seus websites, o que viola as regras do Banco Nacional de Angola (BNA), que as manda publicar, anualmente, até 30 Abril do ano subsequente.

Até ao final da tarde desta terça-feira, dia 16, os bancos ainda não tinham divulgadas as informações financeiras respeitantes ao exercício financeiro de todo o ano passado, nem o balanço, tão pouco as demonstrações financeiras.

O BE é reincidente na prática da não divulgação das contas de balanço, e já no primeiro trimestre deste ano também não divulgou como foi a sua actividade nesse período do ano. O sector aguarda com expectativa a publicação das contas deste banco, uma vez que ocorreu no ano passado uma alteração à estrutura accionista, com a entrega ao Estado das participações da Lektron Capital (ligada ao general Kopelipa e a Manuel Vicente). Após a entrega de 30,98% da participação para "cobrir" um empréstimo que a Sonangol fez a esta empresa para a sua entrada no BE, o Estado passou a ser o maior accionista do ex-BESA. Assim, na assembleia-geral ocorrida em Agosto do ano passado, a nova estrutura accionista aprovou um aumento de capital na ordem dos 344 mil milhões Kz. A dúvida é se será só o Estado a ir ao aumento de capital, ou se a empresa ligada ao general Dino, a Geni Novas Tecnologias também vai investir.

Voltando aos incumpridores, o mais recente aviso sobre o processo de normalização e harmonização contabilística do sector bancário, com n.º05/2019, no seu artigo 6º, estabelece que as "instituições [financeiras] devem publicar, trimestralmente, os seus balancetes em base individual e em base consolidada, caso seja aplicável".

(Leia o artigo integral na edição 579 do Expansão, de sexta-feira, dia 19 de Junho de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i