Tshisekedi enfrenta Kabila e avisa que não haverá reforma da justiça proposta pela FCC

Tshisekedi enfrenta Kabila e avisa que não haverá reforma da justiça proposta pela FCC
Foto: D.R.

Este é o primeiro grande embate entre o actual e o ex-presidente. A Frente Comum para o Congo, o partido de Kabila que tem maioria parlamentar, insiste na medida. "Afinal quem manda no país?", perguntam os analistas.

A aliança entre Tshisekedi e Kabila terá chegado ao fim. Em causa a proposta da reforma da justiça proposta pela Frente Comum para o Congo (FCC), partido de Joseph Kabila e que tem maioria parlamentar, apresentada na semana passada. A história tem no entanto contornos "estranhos".

No início da semana passada, o partido de Kabila anunciou na Assembleia Nacional três propostas de lei sobre o estatuto dos magistrados e a organização das jurisdições, que de acordo com todas as restantes forças políticas vão pôr em causa a independência do sistema de justiça. Na terça-feira, realizaram-se diversas manifestações em todo o País a contestar esta proposta, sendo que milhares de pessoas estiveram junto da Assembleia Nacional. Sentindo a pressão, o ministro da Justiça, Célestin Tunda Ya Kasende, foi ao hemiciclo dizer que o governo apoiava esta iniciativa, mas sem consultar o chefe do Executivo, o Presidente Felix Tshisekedi.

No conselho de ministros de sexta-feira, o Presidente chamou a atenção do seu ministro, que é do partido de Kabila, que não tinha legitimidade para tomar uma posição em nome do governo que era liderado por si. Parece que a conversa não correu muito bem, até porque a maioria dos ministros é do FCC, onde se inclui o 1º ministro Sylvestre Ilunga Ilunkamba, que de acordo com a imprensa local terá manifestado o seu mal estar perante a situação. De costas voltadas, os ministros do FCC e da UDPS, o partido de Tshisekedi, acabaram a reunião prematuramente sem chegarem a um entendimento.

(Leia o artigo integral na edição 581 do Expansão, de sexta-feira, dia 3 de Julho de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i