Economia e segurança são as maiores preocupações na SADC

Economia e segurança são as maiores preocupações na SADC
Foto: Lídia Onde

No ano em que comemora os 40 anos sob a sua fundação, a cimeira de Chefes de Estado e de Governo da SADC aprovou a Visão 2050, um conjunto de intenções e objectivos, tendo como base três requisitos fundamentais - paz, segurança e governação democrática - olhando para aquilo que será o desenvolvimento conjunto da região nos próximos 30 anos. São pilares desta estratégia o Desenvolvimento Industrial e Integração de Mercados, o Desenvolvimento de Infraestruturas de Apoio à Integração Regional e o Desenvolvimento Social e do Capital Humano.

Relativamente ao primeiro, a intenção é desenvolver um plano industrial regional, de forma a que não exista duplicação de indústrias de grande porte em países vizinhos, olhando para o mesmo numa perspectiva global de competitividade para que todos os países possam sair beneficiados. Em termos práticos, a par da necessidade individual de industrialização que cada país membro tem para garantir o seu desenvolvimento económico, definir onde na região serão instaladas indústrias de grande porte e que necessitam de maiores investimentos (siderurgias, celuloses, refinarias, são alguns exemplos).

Sobre a Integração de Mercados, que significa a quebra das taxas aduaneiras na comercialização de bens e serviços entre os diversos membros, a questão coloca-se no prazo temporal e nos passos que têm de ser dados neste caminho. A redução das taxas no comércio inter-regional é gradual, os países propuseram as suas tabelas para análise, pensando-se que num prazo de oito anos este projecto possa estar finalizado. Para os países de menor dimensão económica e desenvolvimento industrial, que correm o risco de se tornarem apenas consumidores, a quebra de taxas aduaneiras também cria uma oportunidade para as indústrias de segunda transformação, uma vez que também baixa o preço da importação das matérias-primas.

O Desenvolvimento de Infraestruturas de Apoio à Integração Regional começou há vários anos com projectos conjuntos entre "vizinhos", de que é exemplo a ligação ferroviária entre Angola e a Zâmbia. O objectivo é ter uma rede rodoviária e ferroviária que ligue todos os países da SADC, de forma a que pessoas e mercadorias possam circular com maior facilidade, o que por exemplo para os países que não têm acesso ao mar é extremamente importante para a consolidação das suas exportações.

(Leia o artigo integral na edição 588 do Expansão, de sexta-feira, dia 21 de Agosto de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i