Kuwait: um dos estados mais ricos do mundo por via do petróleo está a ficar sem dinheiro

Kuwait: um dos estados mais ricos do mundo por via do petróleo está a ficar sem dinheiro
Foto: D.R.

O Kuwait, um dos maiores produtores mundiais de petróleo e gás natural e um dos países mais ricos do mundo, enfrenta uma crise devido à forte queda dos preços da energia, o que está a levantar questões sobre a forma como os Estados Árabes do Golfo são geridos, noticiou a Bloomberg. Já em meados de Agosto, o ministro das finanças do Kuwait alertou que o país não teria reservas suficientes para cobrir os salários da função pública, já a partir de Outubro, caso não melhorem os preços do petróleo.

A Bloomberg considera que os estados do Golfo estão a demorar a ajustar os gastos à queda das receitas do petróleo, o que pode gerar um debate "sobre o futuro de países que durante décadas compraram lealdade popular com a generosidade do Estado".

Atualmente, o país é sustentado pelas exportações dos hidrocarbonetos, que contribuem com mais de 90% do orçamento nacional total. "O estado emprega 80% dos trabalhadores do Kuwait, que ganham mais do que os profissionais do setor privado. Os benefícios de habitação, combustível e alimentação podem totalizar 2 mil dólares por mês para uma família média. Salários e subsídios absorvem 75% dos gastos do estado, que pode registar um défice pela sétima vez seguida desde a crise do petróleo em 2014", explica a Bloomberg.

Depois da queda histórica do petróleo este ano, os membros da OPEP conseguiram impulsionar as cotações do petróleo, mas, considera a Bloomberg, "40 dólares ainda é muito baixo. A pandemia do coronavírus e a transição para a energia renovável ameaçam manter as cotações baixas".

"A Arábia Saudita está a restringir benefícios e a aumentar impostos. O Bahrein e Omã, onde as reservas são menos abundantes, estão a recorrer ao aumento do endividamento e a procurar apoio de vizinhos mais ricos. Os Emirados Árabes Unidos diversificaram com a ascensão de Dubai como um centro de logística e finanças", refere a agência de notícias e dados para o mercado financeiro.

Com poucos activos líquidos, o Kuwait não consegue cobrir um défice orçamental que deve atingir o equivalente a quase 46 mil milhões de dólares este ano.

O Kuwait tem muito dinheiro guardado, naquele que é o 4º maior fundo do mundo, com cerca de 550 mil milhões de dólares, reservado para depois do fim da era do petróleo. Se para alguns é chegada a hora de mexer neste fundo, outros consideram que a prioridade é diversificar a economia e criar empregos, caso contrário o mesmo esgotar-se-ia entre 15 a 20 anos.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i