Internacionalização do ensino superior nas mãos das universidades

Internacionalização do ensino superior nas mãos das universidades
Foto: D.R.

A internacionalização do ensino superior é imprescindível para a qualificação do ensino de qualquer universidade, na medida em que há partilha de conhecimento com instituições além-fronteiras, afirmaram os participantes da primeira conferência internacional Angola-EUA, por ocasião da semana internacional da educação.

Rebeca André, vice-reitora para a área de apoio ao estudante da Universidade Gregório Semedo, afirmou que existe a necessidade de se promover a internacionalização do ensino, mas para isso deve existir a transformação das universidades, sobretudo lusófonas, partindo da adaptação dos conteúdos ao futuro, modernizar a educação e gestão universitária, para que se consigam bons resultados.

"Os desafios que temos de enfrentar para alcançar os objectivos de longo prazo passam, necessariamente, pela melhoria do processo de ensino-aprendizagem, constituição de um corpo docente específico, recursos de aprendizagem que devem ser devidamente preparados para formação a nível universitário, estrutura física específica, incremento de mecanismos de gestão e de administração", defendeu a vice-reitora.

Para a representante da Universidade Norte de Paraná (Brasil), Eliane Segati, a internacionalização do ensino superior é um importante processo que ajuda a universidade a formar quadros num mundo tão complexo e globalizado.

"A educação internacional dentro da nossa universidade começou com o projecto ciência sem fronteiras no sentido de encaminhar os alunos para os EUA e outros países. Como a língua foi uma barreira, passámos para um investimento na política linguística dentro da universidade para que pudéssemos aumentar a mobilidade dos nossos alunos".

Com a formação de mais de 50 jovens que se destacaram em várias áreas assim que regressaram ao país, não restam dúvidas, segundo Ângelo Barbosa, director do Instituto para estudos caboverdianos na universidade Bridgewater State, nos Estados Unidos da América, que a sua internacionalização deu outra dinâmica ao sistema de ensino.

(Leia o artigo integral na edição 602 do Expansão, de sexta-feira, dia 27 de Novembro de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i