Um olhar aos sectores económicos que crescem em plena recessão

Um olhar aos sectores económicos  que crescem em plena recessão
Foto: D.R.

pesar de estar a enfrentar uma recessão económica profunda e prolongada nos últimos cinco anos, evidenciada pelas taxas de crescimento negativas do Produto Interno Bruto, Angola apresenta um potencial de crescimento económico a médio e longo prazo, tendo em conta os vastos recursos naturais que detém no seu imenso território e mais relevante a população jovem e em franco desenvolvimento que possui, disposta a trabalhar mas com falta de oportunidades.

A Para identificar os sectores com maiores potencialidades de investimento no país, precisamos determinar que sectores têm apresentado taxas de crescimentos positivos, mesmo em plena recessão económica que o país tem vindo a atravessar. Ao analisarmos as Contas Nacionais, publicadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), observa-se que há 8 principais sectores, com crescimento médio anual positivo nos últimos 5 anos.

Electricidade e Águas é o sector que maior crescimento apresenta, 9% de taxa média anual de crescimento entre 2015 e 2019. É o sector com um potencial de crescimento garantido tendo em conta que mais de 60% da população angolana não tem acesso a água e electricidade e todos os anos a população cresce a uma taxa de 3,2%. Uma maior abertura à entrada de empresas privadas nestes sectores por parte do Governo e em especial do Ministério de Energia e Águas poderá mais investimentos e gerar mais empregos.

A Indústria Transformadora é o segundo sector com taxas de crescimento médio positivo, 6%. Neste sector cerca de 50% da produção é composta por bebidas alcoólicas e não alcoólicas. Mas a melhor oportunidade de investimento está na provisão de matéria-prima local, pois sabe-se que quase toda a matéria-prima usada é importada, o que tem dificultado a regularidade da produção tendo em conta o actual contexto de insuficiência de divisas. Empresas que venham a investir na produção local de matérias-primas para o sector da indústria transformadora, terão clientes garantidos e deveriam contar com o apoio do Governo que está a apostar na substituição de importações.

A Intermediação Financeira e Seguros é um sector bastante lucrativo em Angola, os bancos comerciais e as empresas de seguros têm obtido muitos ganhos financeiros. Mas é importante levar em consideração que, no caso dos bancos, boa parte dos seus rendimentos advém das Obrigações e Títulos de Tesouro emitidos pelo Governo via Ministério das Finanças para financiar internamente parte do défice fiscal e das operações cambiais.

Os Serviços Imobiliários e Aluguer crescem a uma taxa média de 2,5%, e é um sector com um grande potencial de crescimento tendo em conta o número de pessoas, em especial jovens, que estão à procura de residências. Projectos de construção de casas sociais de baixa e média renda para venda ou aluguel, e a comercialização de terrenos infra-estruturados (com água, electricidade e sistemas de esgotos) para os próprios construírem casas a seu gosto, irão gerar rendimentos para os que investirem nesta área. A atribuição célere de título de propriedade das residências e a legalização dos terrenos é crucial para uma melhor organização deste sector.

*Economista e Investigador auxiliar

(Leia o artigo integral na edição 606 do Expansão, de sexta-feira, dia 8 de Janeiro de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i