Director Carlos Rosado de Carvalho

FMI diz que combustíveis devem aumentar 40% de imediato

FMI diz que combustíveis devem aumentar 40% de imediato

A gasolina e o gasóleo deviam aumentar "imediatamente" 40%, para 204 Kz e 189 Kz, respectivamente, para restaurar o compromisso das autoridades de eliminar os subsídios aos dois combustíveis, recomendou o Fundo Monetário Internacional (FMI) no relatório resultante das consultas com Angola ao abrigo do artigo IV, que prevê discussões bilaterais sobre a situação económica e financeira dos Estados-membros.

"O corpo técnico [do FMI] considera que o preço interno da gasolina e do gasóleo deve ser imediatamente ajustado em cerca de 40% para restaurar o compromisso das autoridades de eliminar os subsídios explícitos (ou implícitos) a estes produtos", lê-se no documento.

Feitas as contas com base na opinião dos técnicos do FMI, o preço da gasolina deveria aumentar 64 Kz, dos actuais 160 Kz para 204 kz, enquanto o do gasóleo devia subir 54 Kz, dos actuais 135 Kz para 189 Kz. Ou seja, a gasolina está a ser subsidiada em 64 Kz e o gasóleo em 54 Kz. Esta subsidiação contraria o disposto no Decreto Executivo 706/15 de 30 de Dezembro de 2015, assinado pelo então ministro das Finanças, Armando Manuel.

(Leia a notícia na integra na edição 412 do Expansão, de sexta-feira 10 de Março de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i