Director Carlos Rosado de Carvalho

Políticas de consolidação orçamental para inverter défices elevados

Políticas de consolidação orçamental para inverter défices elevados

A Economist Intelligence Unit prevê défices orçamentais elevados até 2021 e estima em 5% a desvalorização do kwanza face ao dólar, em 2017.

O Banco Mundial encorajou, segunda-feira, o Governo a implementar políticas de consolidação orçamental para garantir a estabilidade macroeconómica e acelerar a recuperação da sua economia. O apelo, dirigido também a Moçambique e à Nigéria, vai de encontro ao último relatório da Economist Intelligence Unit (EIU), no qual o centro de pesquisa da revista britânica prevê que o défice orçamental de Angola deverá manter-se elevado nos anos mais próximos.

A previsão de 7,3% de défice fiscal da EIU para 2017 é mais pessimista que a do Governo, que no documento de fundamentação do OGE 2017 aponta para 5,3%. No entanto, a EIU refere que Angola deverá iniciar uma trajectória descendente para chegar a 2021 com 6,1%.

A previsão de défices orçamentais elevados é justificada com o facto de os preços do petróleo, que representa 97% das exportações, continuarem persistentemente em baixa, enquanto a trajectória descendente do défice fiscal resultará do alargamento da base tributária.

(Leia o artigo na integra na edição 425 do Expansão, de sexta-feira 09 de Junho de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i