Director Carlos Rosado de Carvalho

Indústrias têxteis serão privatizadas por concurso público

Indústrias têxteis serão privatizadas por concurso público
Foto: César Magalhães

O Estado gastou 1,2 mil milhões USD com o recurso a uma linha de crédito japonesa para a recuperação das três fábricas têxteis e concessionou-as, em 2013, a sociedades anónimas. Em Setembro, o Ministério da Indústria rompeu os contratos e agora procura compradores para saldar a dívida ao Japão.

As fábricas Textang II, África Têxtil e Satec deverão ser vendidas a privados, através de concurso público, depois de, em Setembro, o Ministério da Indústria ter cancelado os contratos de concessão atribuídos a três sociedades anónimas, disse ao Expansão o presidente da Comissão de Avaliação do Sector Têxtil, Vicente Leitão.
O responsável adiantou que esta proposta já foi entregue ao Governo e aguarda por aprovação. Em Setembro, o Ministério da Indústria cancelou os contratos de concessão, alegando incompetência absoluta do Instituto de Desenvolvimento Industrial de Angola para atribuição dos direitos de superfície", reivindicando a devolução das unidades fabris.
A compra das fábricas deverá contabilizar as dívidas aos trabalhadores e aos fornecedores das unidades fabris quando eram empresas públicas, bem como todo o esforço financeiro feito pelas empresas que gerem as unidades fabris actualmente e o valor total da dívida (capital mais juros) contraída ao banco japonês, que rondará os 1,4 mil milhões USD.

(Leia o artigo na integra na edição 445 o Expansão, de sexta-feira 27 de Outubro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i