Director Carlos Rosado de Carvalho

Nota de 100 USD já custa 40.000 Kz no 'Wall Street' do Mártires e deve aumentar até ao Natal

Nota de 100 USD já custa 40.000 Kz no 'Wall Street' do Mártires e deve aumentar até ao Natal

As notícias sobre a eventual desvalorização do kwanza até Dezembro são uma das justificações para a subida do preço do dólar no mercado informal. Paralelamente, o Banco Nacional de Angola tem diminuído a disponibilização de divisas e, na lógica de mercado, se há menos dólares a circular no mercado formal, o informal sobe os preços.

O preço médio do dólar no mercado informal de Luanda tem vindo a disparar nas últimas semanas, com a "nota verde" de 100 USD a custar, esta semana, 40.000 Kz quando, em Abril, custava 36.000 Kz. De lá para cá, numa altura em que se fala da mais que provável desvalorização da moeda nacional, deu-se uma apreciação de 11% do valor da moeda norte-americana nas ruas de Luanda.
Nos já habituais pontos de venda do mercado informal da capital do País, o preço de venda de cada dólar está 141% acima dos 166 Kz por dólar que custa no mercado formal (ver infografia).
O Governo, entretanto, reconhece que a moeda nacional continua sobrevalorizada e propõe "adoptar um regime cambial de flutuação administrada dentro de uma banca compatível com a meta de inflação e o nível das Reservas Internacionais Líquidas que assegure, pelo menos, oito meses de importação, ao contrário dos seis meses actuais. Em função disto, analistas indicam que é expectável uma desvalorização do Kwanza até Dezembro, uma vez que esta é uma das 136 medidas que constam do "Plano Intercalar - Medidas de Política e Acções para Melhorar a Situação Económica de Angola", aprovado na primeira reunião do Conselho de Ministros dirigida pelo PR João Lourenço.

(Leia o artigo na integra na edição 447 do Expansão, de sexta-feira 10 de Novembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i