Director Carlos Rosado de Carvalho

Ordenar ou influenciar?

Ordenar ou influenciar?

Existem dois tipos de pessoas, as pensadoras e as executoras, umas necessitam de fazer mais, outras de pensar mais, pois agir sem pensar não faz sentido e resulta quase sempre mal.

Decidi voltar ao tema da liderança e capacidade de gestão, porquanto continuo a observar no dia a dia, uma forte necessidade de saber liderar pela influência, ao invés de liderar pela norma ou pela ordem.
De igual modo, posso constatar que o carácter do líder é essencial para orientar a conduta de cada colaborador e da sua equipa, sendo para tal necessário um mix de firmeza e versatilidade, considerando as diferentes situações, culturas e ambientes de trabalho.
A maioria das falhas em gestão ocorre porque os que pensam e são teóricos nunca praticaram e são utópicos e os que praticam são, muitas vezes, quase proibidos de pensar, resultado quase sempre dos estilos de liderança.
O poder serve para servir as pessoas e não para as acorrentar ou fazer mais do mesmo, criando rotinas e quebrando a cadeia de valor.
Os gestores verdadeiramente líderes devem, por isso, estar próximos das suas equipas, no entanto, suficientemente distantes, para lhes deixar espaço para a iniciativa e liberdade de pensar e agir.
É esta capacidade de alinhamento que permite passar da visão à realidade conseguida e útil, garantindo uma concretização inteligente e a necessária motivação.

(Leia o artigo na integra na edição 465 do Expansão, de sexta-feira 23 de Março de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i