Director Carlos Rosado de Carvalho

Crude dispara com incerteza sobre Irão

Crude dispara com incerteza sobre Irão

A decisão dos EUA de abandonar acordo nuclear com o Irão e instituir sanções económicas ao "mais alto nível" fez disparar preços para máximos de 2014.

O preço do crude registou uma forte valorização na última semana, com o Brent a transaccionar em torno dos 77 USD por barril. A volatilidade do preço registada nestes dias reflectiu, acima de tudo, a incerteza nos mercados em relação à decisão que Donald Trump iria tomar sobre a permanência dos EUA no actual acordo nuclear com o Irão. Contudo, a decisão dos EUA de abandonar este acordo de forma unilateral, e instituir sanções económicas ao "mais alto nível" contra o regime de Teerão, fez disparar o preço do petróleo para máximos de 2014. Isto porque a re-imposição de sanções poderá vir a reduzir o nível de produção do terceiro maior produtor da OPEP e, com isso, afectar o equilíbrio no mercado mundial.
O impacto desta decisão dos EUA é, no entanto, ainda incerto e poderá ser menos eficaz do que no passado devido à possível tomada de posição de outros países em relação a esta decisão dos EUA. Importa lembrar que o Reino Unido, a França, a Alemanha, a Rússia e a China também fazem parte do acordo e poderão manter as actuais condições do mesmo. Por outro lado, o Irão já fez saber que vai manter os compromissos assumidos neste acordo assinado em 2015.
A questão prende-se com o tipo de reacção que os maiores compradores de crude do Irão venham a tomar nos próximos tempos. As autoridades americanas disseram que não iriam penalizar os países que viessem a cortar substancialmente as suas compras de crude iraniano.

(Leia o artigo na integra na edição 472 do Expansão, de sexta-feira 11 de Maio de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i