Director Carlos Rosado de Carvalho

Crise de liderança com acusações de má gestão ameaça desmoronar CASA-CE

Crise de liderança com acusações de má gestão ameaça desmoronar CASA-CE
Foto: Quintiliano dos Santos

Crise interna provocada por cinco partidos da coligação coloca em causa continuidade do "jovem turco". Próxima etapa será no Constitucional, onde o advogado dos queixosos é deputado da UNITA.

O Conselho Presidencial da CASA-CE assumiu nesta quarta-feira que vive uma crise interna resultante de uma queixa, apresentada no Tribunal Constitucional, por cinco dos seis partidos que compõem a coligação, estando agora focado em evitar uma "ruptura" no projecto político fundando em abril de 2012.
O posicionamento vem expresso num comunicado lido por um dos vice-presidentes, Lindo Bernardo Tito, reagindo a acusações de "má gestão" e de alegado desvio de "milhões de dólares" da CASA-CE "para benefício pessoal", bem como criticas à forma como a coligação tem sido dirigida.
"Repudiar com veemência as falsas acusações sobre um eventual desvio de fundos da CASA-CE, pelo seu presidente", que são "maliciosas" e que "apenas visam denegrir o bom nome do presidente Abel Chivukuvuku", disse.
Diante das circunstâncias, o Conselho Presidencial da CASA-CE deu inicio aos procedimentos internos com vista à "convocação do Conselho Deliberativo Nacional", órgão máximo da coligação, lê-se no comunicado.
Questionado pelo Expansão até que ponto esta crise não coloca em risco o projecto CASA-CE, Lindo Tito respondeu que "tudo continuarão a fazer para manter a chama" da coligação, considerando ser "normal que num percurso de uma organização existam pequenos solavancos" que serão "vencidos como tantos outros que vivemos nos anos anteriores".

(Leia o artigo na integra na edição 475 do Expansão, de sexta-feira 01 de Junho de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i