Director Carlos Rosado de Carvalho

Educação colaborativa

Educação colaborativa

Para que a educação funcione é necessário perceber que só a participação colaborativa de pais, professores e alunos permite garantir que estes não sejam vítimas do abandono.

Mais importante do que criar um mundo melhor para os nossos filhos, é deixar melhores filhos para o mundo.
Esta é uma responsabilidade do sistema educativo, que enquadra a família, na pessoa dos pais, professores e dos alunos, reunidos em torno de um objectivo comum, a adequada formação moral, bem como o verdadeiro sentido de participação activa dos alunos na sociedade.
Segundo Knallinsky, existem constrangimentos e inconvenientes, que são susceptíveis de impedir que exista uma participação efectiva dos pais no sistema educativo, bem como de se tornarem fonte de conflitos.
Destacam-se, entre eles, o desemprego, a falta de tempo, a linguagem e a formação desajustada dos professores ou, muitas vezes, a falta de paciência para tratar cada caso, pois a educação necessita de personalização.
A presença destes conflitos, muitas vezes, revelado em distanciamento e até absentismo, carece de formação adequada dos professores, que devem ter uma função dupla de pedagogos e sociólogos.
Estamos perante um trabalho conjunto, em que todos devem estar implicados, correspondendo a um projecto da responsabilidade da comunidade educativa.
Claro que estarão a pensar sobre as dificuldades existentes ao nível das famílias mais desfavorecidas, pois esta barreira pode ultrapassar-se sem preconceitos nem marginalização, através do diálogo e da cooperação.

(Leia o artigo na integra na edição 477 do Expansão, de sexta-feira 15 de Junho de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i