Director Carlos Rosado de Carvalho

"Sou contra o consumismo. Compro apenas o necessário"

"Sou contra o consumismo. Compro apenas o necessário"
Foto: Quintiliano dos Santos

A actriz brasileira Andréia Horta dá vida a Elis Regina no filme que retrata a vida da cantora, para si o maior ícone da cultura brasileira. Em Angola, para a estreia do filme no País, a atriz contou que é contra o consumismo. A crise política que o Brasil enfrenta preocupa-a mais do que a crise económica, porque é aí que tudo se decide.

No filme Elis, dá vida à personagem principal. O filme retrata a vida de Elis Regina ou algum aspecto ou período particular da vida dela?
É sobre a vida de Elis Regina, mas lógico que precisamos encurtar algumas cenas, porque um filme é muito pouco para retratar a imensidão do que a Elis representa para a cultura brasileira, o modo de vida que ela levava, a forma de ser livre.

Como recebeu o convite para ser a protagonista de um filme sobre Elis Regina?
Foi muito emocionante, porque sou muito fã de Elis. Alguém que me conhece bem, falou com o autor e disse que conhecia alguém que sabe tudo sobre a Elis e que daria uma óptima interpretação. Fui para lá, conversámos e já saí do encontro com a cabeça a mil só de pensar em "ser" a Elis. Foi muito bom.

Como se preparou para representar um ícone da cultura brasileira?
ão foi muito difícil por ser fã da Elis, eu já conhecia a vida dela. Mas é certo que tive de ler mais para incorporar a personagem, conhecer os movimentos da boca, os "tiques". (...)


(Leia a entrevista integral na edição 491 do Expansão, de sexta-feira 21 de Setembro de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i