ACREDITO EM MIM?

ACREDITO EM MIM?
Foto: D.R.

Todos nós acreditamos na vida, no entanto, muitas vezes não acreditamos em nós tanto quanto deveríamos, apenas porque não nos conhecemos devidamente.

Todo o indivíduo tem um potencial insustentável, é preciso, no entanto, que entenda que só se conhecendo poderá acreditar que é mesmo capaz. As pessoas que não são autoconfiantes ficam quase sempre na zona de conforto, resguardadas na desconfiança e na insegurança, não explorando a novidade, fugindo ao mais pequeno desafio.

Tudo isto porque essa insegurança gera conflitos interiores, que inibem a coragem e capacidade de conquista.

Por outro lado, as pessoas confiantes sabem o que querem, daquilo que são capazes e, embora escutem os conselhos e opiniões dos outros, não mudam o seu trajecto por ruídos, medos ou influências negativas.

Frieza, rigor e coerência ajudam. Por isso é preciso acreditar em si mesmo, para que possa abrir portas a novas oportunidades, aceitando mais facilmente todos os desafios.

Todos nós conhecemos a célebre frase "conhece-te a ti mesmo, do latim "nosce te ipsum". Não existe a ideia segura de quem tenha sido o autor desta frase, se o sábio grego no templo Delfos de Apolo, tales de Mileto, Sócrates, Heráclito ou Pitágoras. Sabe-se, sim, que esta frase está inscrita no templo de Delfos, em honra de Apolo, deus grego do sol, da beleza e da harmonia.

A frase completa diz: "conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses". Sócrates era um defensor do autoconhecimento, considerando que nenhum indivíduo era capaz de praticar o mal conscientemente e propositadamente e que o mal resultava da sua ignorância e falta de autoconhecimento.

O primeiro passo para o conhecimento é conhecermos a nós próprios, quem somos, num processo incessante de conquista e busca consciente. Mais ainda, tão ou mais importante do que nos conhecermos, é saber quem somos! Aceitemo-nos por isso tal como somos, mas tenhamos, no entanto, a coragem de perceber onde e como devemos melhorar, sem teimosias nem desconfianças.

Num olhar para dentro, vasculhando-se a si mesmo, decerto encontrará a luz e a sombra que existe em si, algo que tem mais ou menos impacto sobre os seus resultados, lhe dá melhores ou piores relacionamentos, lhe permite estar mais ou menos seguro nas suas decisões, hesitar ou avançar, enfim, ter mais ou menos coragem no momento decisivo.

Ao gestor do futuro, colocam-se desafios de autoconhecimento, segurança e autoconfiança, que lhe permitam gerar alento e iniciativa por parte da sua equipa, dando-lhes foco, coragem, agressividade, criatividade e energia para atingir os desafios de um mundo, cada vez mais virado para a competência, o conhecimento e a competitividade. (...)


(Leia o artigo integral na edição 523 do Expansão, de quarta-feira, dia 10 de Maio de 2019, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i