Bem-me-quer, mal-me-quer

Bem-me-quer, mal-me-quer
Foto: D.R.

Bem-me-quer, mal-me-quer. Muito, pouco ou nada? Este jogo, com origem em França, pretende determinar se o objecto do seu interesse retribui o mesmo afecto. Em tese, o jogo incentiva o desfolhar, pétala a pétala, de uma margarida enquanto se proferem as palavras "bem-me-quer, mal-me-quer" sendo que a palavra que calhar na última pétala representa o sentido recíproco ou o sentimento contrário ao de quem joga.

O bem-me-quer é a simbologia das relações saudáveis vs relações tóxicas, amizades verdadeiras vs amizades falsas, amores quentes vs amores frios. Nesta perspectiva, o RH também encontra integração no jogo "bem-me-quer, mal-me-quer. Muito, pouco ou nada?"

A atracção de pessoas para dentro de um projecto empresarial é um dos principais desafios da área de Recursos Humanos, pois seleccionar o melhor perfil num conjunto de outros perfis igualmente capazes é o primeiro passo para o sucesso da vaga em aberto.

O Recrutamento e Selecção (R&S), embora sejam processos distintos, complementam-se no acto da atracção dos melhores candidatos a uma vaga, pelo que envolve várias técnicas e etapas de forma a valorizar o candidato.

Em boa verdade, este processo de R&S é, para os gestores de RH, um dos processos mais apaixonantes no âmbito das suas atribuições, mas é também dos mais ingratos caso algum problema surja após a contratação do novo funcionário e é para reduzir os impactos destes problemas que o RH se une às tecnologias para conceber a análise preditiva dos candidatos.

Um dos desafios para o futuro do RH de Angola é qualificar as ferramentas de recrutamento na medida em que se empreguem pessoas o mais próximo possível da real necessidade, sem bases na subjectividade ou na simpatia, mas sim na ciência exacta e matematicamente comprovada que, consequentemente, diminua as taxas de rotatividade por má contratação.

A análise preditiva surge no RH como uma ferramenta de previsão do futuro, na medida em que permite examinar dados, agrupá-los e trabalhá-los de acordo com as carências , o que torna o trabalho de recrutamento e selecção dinâmico, fácil e específico.

Para contratações mais efectivas o RH apresenta o Recrutamento Preditivo que consiste numa avaliação das habilidades, motivações e a personalidade, cruzar dados internos com externos, como as redes sociais, colhidos durante a selecção dos currículos que permitem antever tendências comportamentais do candidato no ambiente laboral.

Esta ferramenta tecnológica e de inteligência artificial apresenta-se também como uma óptima solução na retenção do melhor capital humano pela política de gestão de carreiras, pela previsão de acontecimentos futuros, pela percepção dos factores de promoção do clima organizacional e aumenta a produtividade dos colaboradores.

*Gestora de recursos humanos e professora universitária

(Leia o artigo integral na edição 600 do Expansão, de sexta-feira, dia 13 de Novembro de 2020, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i